quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

MAIS REVOLUCIONÁRIO, IMPOSSÍVEL!

Sediada em Hiroshima, onde foi arrasada pela bomba atômica no final da II Guerra, a Mazda só retomou suas ativi-dades em meados dos anos 50, ao lançar um minicarro bicilíndrico semelhante ao Subaru 360, aproveitando o incentivo do governo japonês à produção de modelos econômicos. Entretanto, a marca só alcançaria notoriedade fora do Japão ao lançar o sensacional Cosmo Sport no salão de Tóquio de 1964, o primeiro automóvel do mundo a usar o motor rotativo Wankel (primazia dividida com o NSU Prinz), que foi colocado no mercado em 1967. Além do estilo incomum, a curiosidade, obviamente, ficava por conta da nova concepção de motor proposta por Felix Wankel, que tinha os cilindros substituídos por um rotor de formato triangular que girava em uma cavidade oval, criando três câmaras de combustão onde, em cada uma, ocorria um ciclo completo de quatro tempos que dispensava válvulas de admissão e de escape, graças a janelas na própria câmara, como em um motor dois-tempos. Como, em cada volta do motor, se davam três ciclos completos da combustão, o rendimento era espetacular, fazendo com que o pequeno 1.0 chegasse a 110 cv líquidos. O lado B ficava por conta da baixa durabilidade dos primeiros motores rotativos, fator que levou a NSU à beira da falência e fez com que a Mercedes desistisse do também revolucionário C-111. Mas a Mazda insistiu e logo alcançou a excelência na fabricação desses motores, criando uma nobre linhagem de esportivos com o Cosmo e seus sucessores RX-7 e RX-8. Há relato de pelo menos um Cosmo Sport no Brasil, que teria sido presenteado pelo Imperador Hirohito ao General Costa e Silva (mais uma lenda...) e foi matéria da Oficina Mecânica de outubro/1990. Alguém tem notícias dele?

4 comentários:

tohmé disse...

Já vi um desses por aqui, vermelho. Coisa mais linda.

Luís, sou o das miniaturas sim. Vou colocar seu blog lá nos meus "diários". Abraços.

Luís Augusto disse...

Tohmé, é exatamente um vermelho o carro da lenda do presente imperial. Segundo consta, o proprietário guardou o motor Wankel e instalou um de Chevette.

Seu blog é muito bom, já deixei uns comentários no passado, mas vou registrar minha presença lá de novo!

Felipão disse...

hahauhauhauha essa do Chevette foi de matar. Lembro de quando começaram a aparecer uns RX-7 por aqui e a Quatro Rodas testou e explicou o funcionamento desse motor. Lembro que , do alto dos meus 13/14 anos fiquei impressionado com essa tecnologia. Quanto ao Cosmo, linhas lindíssima. A própria traseira dele com o parachoque cortando as duas lanternas...

Anônimo disse...

Cara, este é o carro da equpe do GAM (ou MAT, no original), da série "O Regresso de Ultraman".

O RX7, é o carro Jaspion.