terça-feira, 20 de janeiro de 2009

ATÉ QUE ENFIM!

É o que devem ter pensado os clientes da Studebaker com o lançamento da linha 1950, que, além de atualizar o estilo dos revolucioná-rios Champion/Commander de 1947, corrigia defeitos no controle de qualidade que macularam a imagem da marca nos anos anteriores. A novidade mais importante, contudo só viria em 1951, com a introdução do V8 232, uma moderna unidade de 3.8 litros, válvulas no cabeçote e 120 hp brutos, capaz de colocar o Commander em pé de igualdade com os Oldsmobile, que tinham o V8 Rocket, e um passo à frente da Mercury (V8 Flathead) e da Dodge (seis em linha Continental); o Champion, menos sofisticado, mantinha o seis em linha. As mudanças vieram em boa hora, já que, em 1949, as Big Three haviam lançado seus modelos inteiramente novos do pós-guerra e a linha Studebaker já estava desgastada, principalmente por causa do fraco motor seis em linha dos anos 30 e das exigências de atualizações de estilo ditadas pelo mercado. A linha 1950/51 daria novo fôlego às vendas e acabou se tornando um grande sucesso com o inconfundível bullet-nose à frente, que desapareceria em 1952. O Commander V8 1951 da foto pertence ao blogueiro Guilherme Gomes e representa, talvez, o melhor modelo da história da marca, que aliava o estilo marcante a uma mecânica moderna, tipicamente americana. Para ver o ensaio completo, é só clicar aqui.

6 comentários:

Felipão disse...

Um dos mais lindos modelos que já vi por aqui. Inclusive, o Guilherme está de parabéns, tanto pelo carro quanto pelo blog.

Guilherme Gomes disse...

Dr. Luís, muito legal o post, gostei de ver essa foto aí!!

abraço,

Luís Augusto disse...

Guilherme, que tal tirarmos o "Dr." do nosso prenome?

Sobre o seu Stud, vc já o dirigiu? O desempenho é realmente digno de um V8? Deixe suas impressões aí!

Mário César disse...

Malta,

Cheguei aqui através do link do Carros Antigos do Nik,e já adicionei o seu fantástico blog nos meus preferidos...
Continue a nos presentear com muitas fotos e informações para que nosso enferrujado sangue continue a circular,forte,borbulhante e quente...
Grande abraço dos pampas !!!!

Mário Buzian - Ivoti/RS

PS: Sempre adorei o design dos Studebaker,um verdadeiro clássico do seu tempo,muito bom revê-lo,sempre !!!!

Guilherme Gomes disse...

ok. Luís.

como você bem deve saber, para pilotar carros antigos é preciso se despir de certos preconceitos. A verdade é que meu corsinha mil faz muito mais que eles, não em arrancada, mas em velocidade, agilidade, estabilidade, enfim... mas quem anda em um carro antigo não está buscando isso, o conforto do banco recompensa a ineficiência dos freios, a beleza do capô recompensa o receio de colocar 90km/h (morro abaixo)... e por aí vai... temos aqui um Ford, chevy e esse Stud, todos 1951. Gosto mais do Ford, embora seja o mais "pesadão".
Eu poderia dizer aqui que ele é um "avião", mas ele já não faz mais esses abusos, até faria se fosse carro de uso diário, mas está mais para pesseios serenos... é até mais elegante!

Abraço,

Luís Augusto disse...

Grande Mário, seja sempre bem-vindo.

Guilherme, você é um privilegiado por poder fazer um autêntico comparativo entre três modelos do mesmo ano!