quarta-feira, 17 de setembro de 2008

O BRASINCA DO DR. OTÁVIO

Provavel-mente o veículo mais premiado do Brasil, o Brasinca 4200 GT 1965 chassi 0009 tem uma histó-ria interes-sante: co-mo se sabe, ele foi desenvolvido pela Brasinca para provar a capacidade técnica da empresa que, na época, fornecia peças estampadas para boa parte dos fabricantes instalados por aqui. Entretanto, como foi lançado em um período de turbulências econômicas que levaram a marchas e contramarchas na política de proteção à indústria nacional, o esportivo não deu os resultados comerciais que a empresa esperava, de modo que o projeto foi vendido, junto com o ferramental, para o grupo independente STV, que continuou a fabricá-lo com o nome do projeto, Uirapuru. Pouco tempo depois, ele teve a produção definitivamente interrompida pela STV e a Brasinca se deu conta de que não tinha guardado nenhum modelo em seu acervo para contar a história, mas, como o veículo ainda era recente, não foi difícil achar um pouquíssimo rodado e recomprá-lo para que ficasse na empresa, justamente o 0009 em questão. Acontece que, com a abertura abrupta às importações em 1990, a Brasinca passou por dificuldades financeiras e, tendo contratado um advogado para questões internas, pagou seus serviços com o 4200 GT do seu acervo em 1997; como o advogado não se interessava por carros antigos, repassou-o ao Dr. Otávio, do Veteran de BH, naquele mesmo ano, sem sequer tê-lo colocado em seu nome. Assim, tecnicamente - e, segundo a nota fiscal emitida pela Brasinca - o Dr. Otávio comprou o esportivo 1965 faturado diretamente da fábrica em 1997 pela quantia simbólica de R$ 1,00! O carro é absolutamente original, tendo sido refeitos apenas a pintura e os filtros de ar dos carburadores SU, sendo que o motorzão Chevrolet 261 (4.2 litros, 166 hp brutos) nunca deu o menor sinal de cansaço. O leitor mais atento, ao comparar a foto desse post com a do de 13/07/2008, verá que as rodas são diferentes. O motivo é que ele foi comprado com os pneus ainda originais de fábrica, na medida 175 x 400 (em centímetros, com diâmetro correspondente a 15,75 pol), dificílimos de serem achados - nessa foto, ele está em lugar de honra no Brazil Classics 2004 usando os pneus originais. Para rodar, ele ganhou rodas aro 15 e pneus normais; afinal, uma raridade dessas merece ser desfrutada no seu habitat natural: as estradas.

8 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

Olá luiz Augusto, viajando pelos posts de seu ótimo blog gostei de tudo que li e vi,muito bom o seu trabalho.
Estarei sempre visitando.

estarei colondo o link em meu blog.

Abs.

Chico Rulez! disse...

Esse carro é absurdamente maravilhoso... E que barulho!

Alguém sabe o que aconteceu com o Gavião (Uirapuru "Shooting Brake" versão puliça)?

Julio Fachin disse...

Interessantíssimo o post. Eu sabia que o carro do Dr. Otávio era 100% original, mas não sabia que havia sido de propriedade da Brasinca. Como vc disse, o carro merece desfrutar de seu habitat natural, que são as estradas. Assim, pode-se dizer que o carro sempre está se sentindo em casa, já que o Dr. Otávio aparece constantemente com seu Brasinca nos encontros do Veteran de Belo Horizonte, no Alphaville e vai, logicamente, rodando com seu belo automóvel.
Vale citar que o carro tem desenho do engenheiro espanhol Rigoberto Soler, exímio designer, radicado no Brasil, e que infelizmente veio a falecer em novembro de 2004, se não me falha a memória. Soler era um gênio. Chegou até mesmo a projetar um carro de F-1 sob encomenda da Matra. Todavia o projeto foi descontinuado.

Felipão disse...

Brasinca que era sediada aqui perto da minha casa, em São Caetano do Sul...

Belíssima história, Luís...

E muito obrigado pela contribuição a respeito das corridas no Mineirão...

Luís Augusto disse...

Amigos, muito obrigado pelos comentários. Espero continuar divertindo-os com essas histórias...

Portal Maxicar disse...

Para ser sincero, pessoalmente não gosto nada do desenho do Uirapuru. Acho bastante mal resolvido. Mas esse exemplar tem uma senhora história. E é isso que move a paixão pelos automóveis antigos.

Songa disse...

Eu sou suspeito falar do Uirapuru, o que eu sei eu coloquei no site dele www.brasincauirapuru.com já o Gavião... Mistério...-

Luís Augusto disse...

Thiago, quanta honra vê-lo por aqui! Seja bem-vindo e volte sempre!