quarta-feira, 24 de setembro de 2008

EUROPA X AMÉRICA - ROUND VI

Dois dos primeiros veículos produzidos em território brasileiro tinham suas raízes nas forças armadas dos seus países de origem: o Willys Jeep e o DKW Munga, conhecido aqui como Candango. O americano se tornou sinônimo de 4x4 desde a II Guerra, tendo o seu nome surgido da junção dos fonemas GP (de General Purpose, ou uso geral); atuou em todas as frentes de combate, destacando-se pela extrema robustez mecânica e capacidade de chegar a lugares até então impossíveis para um veículo de quatro rodas, embora a agilidade nunca tenha sido o seu ponto mais forte (a outra versão para o nome Jeep é a de que ele teria sido insiprado em Eugene, the Jeep, o amiguinho do Popeye que sempre estava nos lugares mais improváveis). Já o alemão, cujo nome vem de Mehrzweck Universal Geländewagen mit Allradantried (veículo utilitário de tração total para uso geral), nasceu em tempos menos turbulentos, a partir de uma especi-ficação do exército alemão de um 4x4 leve para as forças da OTAN, e derrotou ninguém menos do que a Porsche, que havia apresentado o seu modelo Jäger (caçador) para a concorrência. Bem mais leve, ágil e espaçoso do que o Willys, ele perdia em força bruta, especialidade da engenharia americana, mas seu desempenho em terrenos pavimentados é muito superior, enquanto sua desenvoltura no fora-de-estrada também é inquestionável. A disputa desse post foi travada na vida real em uma concorrência para o Exército Brasileiro em 1960 vencida pelo Willys, o que acabou inviabilizando a fabricação do Candango por aqui - uma versão mais barata 4x2 foi tentada, mas não obteve sucesso. Uma pequena compensação vem hoje: se fosse eleger um para minha coleção, não teria dúvidas em ficar com o DKW; o barulhinho do motor dois-tempos aliado ao desenho que lembra o de um brinquedo lhe dá um charme que nenhum outro 4x4 tem. Europa 3 x 3 América.

8 comentários:

Chico Rulez! disse...

Eu já dirigi um Willys 49, muito legal, até hoje é o carro mais antigo que já tive oportunidade de dirigir. Agora, o Candanguinho é legal demais! Sou doido com um desses verde água, o pai de um amigo meu tinha um e o bocó morria de vergonha quando ele era buscado na escola no jipinho...

Julio Fachin disse...

Também ficaria com o DKW. Não sabia desta história envolvendo o nome.
No Blue Cloud de 2007, evento de colecionadores de DKW pude ver alguns exemplares do Candango excepcionais. É um carro interessante.

Felipão disse...

Difícil...

Mas continuo com os estadunidenses.... Até mesmo o aspecto externo mostra mais força que o Candanguinho...

Portal Maxicar disse...

Vale lembrar que quando entrou em produção no Brasil, o Cadango era chamado de "Jipe DKW", mas a Willys criou caso, com razão, por causa da sua marca "Jeep", fazendo com que a DKW acabasse rebatizando seu 4x4 de Candango.

Gustavo disse...

Vi esse Candango em um evento em Teresópolis. Esta realmente em perfeitissimo estado. Uma beleza !

Mauricio Morais disse...

Difíil escolha realmente, mas fico com o voto do Felipão. Willys.

Germano disse...

Oi Luís Augusto, gostei do post, por coincidência em posts passados falei sobre esses três carros, o Porsche, o DKW e o Willys, dá uma procurada lá. faltou os Göliath que também fizeram parte da concorrência com o Porsche e o DKW.

Alisson disse...

Como Jeep um Willys é mais Jeep. Se é que me entendem. Mas como carro de coleção, um Candango tem mais charme. Mas pra não ficar em cima do muro fico mom o Willys, até porque possuo um M-520 1967.
Valeu,
Alisson