sexta-feira, 5 de setembro de 2008

UMA SINGELA CONJECTURA

Será que essa Isotta-Fraschini 8A SS Coupé 1928, encarroçada por Cesare Sala, conse-guia sequer dobrar a esquina das apertadas ruas das cidades históricas italianas com seu enorme capô que abrigava um oito em linha de 7.4 litros? Esse modelo, fotografado no Brazil Classics 2008, nunca havia aparecido em eventos abertos, tendo levado o Troféu FIVA para casa, e traz a particularidade de ter pertencido a João Ribeiro de Barros, o primeiro aviador a atravessar o Atlântico sem escalas, em 28/04/1927, no avião Jahú - claro que os americanos dizem que foi Charles Lindbergh no Spirit of Saint Louis, em 20/05/1927, tema para um futuro blog sobre história da aviação...

4 comentários:

Julio Fachin disse...

O carro é simplesmente lindo e imponente (não dá pra falar menos do que isso de uma IF, claro). Mas em Araxá deu pra ver que este exato exemplar não está 100%. Alguns detalhes de pintura, cromados, etc. precisam de restauração. Não quero falar mal do carro, vejam bem, é que por ser tão raro, clássico, e por ter pertencido a quem pertenceu, o carro merecia um estado bem melhor.

Luís Augusto disse...

O que se comentava em Araxá era que essa Isotta estava discretamente à venda por R$ 1 milhão e que o dono das outras duas chegou a se interessar, mas achou caro, considerando o seu nível de exigência nas restaurações dos seus carros.

Mauricio Morais disse...

Luís boa pergunta! Mas acho que esse "carrão" não foi feito para trafegar nas vielas apertadas das cidadezinhas italianas, penso que ele era usado mais par se ir de um castelo a outro, passando pelas grandes propiedades de ricos senhores. Para as vielinhas deviam usar os triciclo DeDion-Button, ou coisa parecida.

Felipão disse...

hahahaaha

boa pergunta.

Aliás, esperarei esse blog ansiosamente.

E Lindebergh, se história bastante triste... por tudo que aconteceu com seu bebê...