segunda-feira, 15 de setembro de 2008

O CORCEL DA TRANSILVÂNIA

A partir dos anos 60, deu-se início a um processo de descentrali-zação da produção automotiva mundial que, até então, era muito concentrada nos EUA e na Europa Ocidental, o que ocasionou a consagração de alguns projetos pelo mundo afora que, comprados para reduzir os investimentos das marcas iniciantes, ganhavam apenas retoques cosméticos e mecânicos de acordo com o gosto local. Assim aconteceu com o Fiat 124 (Lada Laika na URSS), o Opel Rekord (Olímpico no México, Monaro na Austrália e Opala no Brasil) e o Renault 12, que originou o Ford Corcel por aqui em 1968 e o Dacia Denem romeno da foto acima, que se manteve em produção de 1969 até 2005(!), dando lugar ao bem-sucedido Logan, já sob controle da Renault. Reparem como as proporções do habitáculo, o desenho das rodas e das maçanetas de porta remetem imediatamente ao médio da Ford brasileira que, no entanto, tinha desenho muito mais harmônico, assinado por Roberto Araújo - o Corcel foi considerado mais bonito até do que o próprio Renault 12 que o originou, causando ciúmes nos franceses. O motor era o mesmo 1.3 litro dos primeiros modelos brasileiros, mas não recebeu os melhoramentos que originaram o CHT 1.6 dos anos 80.

3 comentários:

Felipão disse...

hahahaha

também vou pelo lado do Corcel...

Inclusive, existia um plano para lançar o Logan como Dacia mesmo, em vários países...

Depois desistiram...

beto disse...

Interessante como as proporções lembram as do Logan. Parabéns pelo blog.

Luís Augusto disse...

Valeu, Beto! É verdade, o teto alto e a frente e traseira relativamente curtas remetem logo ao Logan.