sexta-feira, 27 de março de 2009

JÓIA DA NET

Quem gosta de Fórmula 1 e suas histórias tem visita obrigatória no F1 Total, comandado pelo nosso mais novo amigo virtual, o Roberto Zullino. Impressionante a quantidade de informações que o Roberto conseguiu reunir, inclusive sobre a era Grand Prix, que antecedeu a F-1 até 1949 - claro que isso foi a primeira coisa que este humilde antigomobilista foi ver no site (vá ao ícone History e divirta-se). Notícias fresquinhas do mundo da velocidade também estão lá. Enjoy!

11 comentários:

Helio Herbert disse...

Luis Augusto,com a máxima urgencia de uma olhada no www.blog-do-buonnano.blogspot.com/ no post sobre o encontro de Poços de Caldas e surpreenda-se.

Helio Herbert disse...

Ia me esquecendo informe aos amigos.H.H.

Roberto Zullino disse...

Hahahaha, o Hélio confunde as coisas e deve ter ficado chocado, mas é melhor esclarecer aqui mesmo.

Apesar de sempre ter me metido com carros e motos, alguns antigos inclusive, não sou fanático de antiguidades automobilísticas, prefiro carros novos. Até tenho alguma coisa, mas não sou apegado a coisas inanimadas.

Também não gosto da atitude que os colecionadores tem para com os neófitos. Já vi muita gente chegar feliz com um carro recém comprado e os fanáticos desprovidos de inteligência emocional começarem a criticar o espelhino, a tranca do porta luvas, que a cor não era dessa série, fanatismo puro. Restauram coisas inanimadas, trancam os carros e dizem que é preservação de memória. Já fui em muitos encontros de Lindóia, mas não vou mais, me enchi. Quem gosta que vá.

Agradeço ao Luiz pela menção do www.f1total.net e espero que a maioria aproveite as informações que lá existem. Tem uma página de notícias que através de um software "rouba" notícias de todos os sites do mundo de f1, tem eciclopédia com a história desde 1906 e tem um fórum que não aconselho aos mais sensíveis, hahahahaha, falamos mal de tudo e de todos, menos do Bernie e do Max.

O site foi feito para isso mesmo, divertir, preservar a memória de maneira democrática, com acesso universal e "dis grátis".

Abs,

F1total disse...

O Zullino tem toda razão. Esse pessoal que gosta de manter carros antigos juntando poeira em museus, como cadáveres insepultos, e chama a isso de preservação da memória automobilística, deveria fazer um estágio em Cuba e aprender o que é verdadeiramente preservação de automóveis.
Um automóvel foi concebido para rodar, transportar pessoas ou cargas, fora desse contexto, largado em um museu e isolado por uma corda é algo tão bizarro quanto os cadáveres embalsamados dos Charmains Lênin e Mao.

[]´s

Mariana disse...

O SR.Roberto foi infeliz em seu comentário.

Roberto Zullino disse...

Prezada Mariana,
Você tem toda razão, mas às vezes é impossível se evitar.

Só postei o comentário para economizar os Links que o Helio Herbert colocou no intuito de mostrar que sou inimigo de colecionadores, uma enorme bobagem.

Como também não sou amigo do Luis Augusto, sequer o conheço.

Achei muito simpático da parte dele em divulgar o meu site www.f1total.net e sempre que posso contribuo aqui, pois embora não goste de antiguidades automobilísticas não quer dizer que não entenda delas, entendo sim e entendo muito melhor que a maioria.

Isso vem da experiência, meu pai teve mais de 200 carros e nunca foi colecionador, conheci a maioria desses carros quando eram novos e sinceramente nenhum deixou saudade.

Também tive minha parcela de carros e ainda tenho um 550spyder feito na minha garagem por mim mesmo, com o qual corri 4 anos na Classic, sendo campeão em 2003 com êle. Também tenho uma moto Honda CB 350 1974 com 25 mil km.

Ando com os dois sempre. O dia que não puderem andar vão para a rua, na minha garagem não tem lugar para veículo parado.

Além disso, sou morador antigo da Granja Vianna, conhecido reduto de carros antigos e velhos e com familiares na vizinhança e na "colecionância".

Portanto, acho que o Helio Herbert poderia ter economizado sua sessãozinha Gossip Girl querendo avisar o Luis Augusto sobre a inconveniência de "andar" em más companhias, no caso, euzinho, só rindo mesmo.

Pelo que vi o Luis Augusto é psquiatra e tem uma certa idade, portanto, seria a última pessoa no mundo a precisar disso.

Mesmo que fosse inimigo de colecionadores, e não sou, não teria a menor importância, cada faz o que quer e pensa o que quer. Apenas não sou obrigado a gostar do comportamento deles, é execrável na maioria.

A unanimidade é burra, o contraditório é melhor.

Luís Augusto disse...

Prezados amigos,
Só agora me interei do teor da discussão.
Tendo a pensar que toda associação, clube ou confraria que cresce muito ou envolve interesses econômicos ou projeção social acaba descambando para o que o Roberto, a quem continuo chamando de amigo, descreveu. Certa vez vi um colecionador capixaba dando o maior piti, do alto dos seus 55-60 anos, porque o carro dele não foi premiado em um grande evento brasileiro - no evento seguinte, deram um jeito de premiar sua preciosidade...
Esse, no entanto, é o lado B de uma paixão multifacetada que reúne pessoa das mais diversas atividades em torno da busca pela perfeição na preservação de um momento histórico do século em que nascemos e que, por demandar custos e dedicação dignos de obras de arte, acabam despertanto um comportamento segregatório - o pessoal da velha guarda acha os neófitos "muito à vontade" e os neófitos vêm o resto como "metidos" e todos vêem o "povão" como elementos indesejados em seus encontros. Fazer o quê? Isso ocorre também nas associações de classe das quais já fiz parte, em clubes recreativos, em peladas de fim de semana e, como dito no início, em todo ambiente onde houver envolvimento de dinheiro e prestígio. Acho, apenas, que quem se detém nessas questões, perde a grande oportunidade conhecer pessoas fascinantes que, invariavelmente, existem mesmo nos ambientes mais viciados (ou viciosos?). Roberto e Hélio, tenho certeza de que, embora curtam facetas diferentes do antigomobilismo e discordem de certos pontos de vista (ou talvez exatamente por isso), vocês estão entre o que há de melhor no meio, como pode ser visto em seus respectivos sites.
Abraços,
Luís Augusto

Helio Herbert disse...

Luis Augusto,continuo respeitando o meu colega Roberto só não achei justo o modo como fui correspondido à um convite que fiz a ele com a melhor da intenção,desconhecia esse lado radical e preconceituoso e realmente fiquei indignado com isso.Não é nada pessoal,o Roberto tem direito de pensar livremente,só não acho justo ofensas desnecessárias,afinal somos uma família e devemos ser respeitados e respeitar,de minha parte o assunto está encerrado e desculpe usar seu espaço para esse pequeno desabafo.Saudações e nos veremos em Lindóia.

Roberto Zullino disse...

Que bom, mas acho que cabe uma digressão.

Se houve ofensa ou preconceito as mesmas deve ser entendidas dentro do contexto em que ocorreram.

Também devem ser respondidas no local onde ocorreram.

Primeiro, o contexto. O Blog do tio Buonanno é um lugar informal que segue a linha do Comparsas, ou seja, "ofensas" e rivalidades entre ferraristas ou jegues, porcheiros ou fuscones e lambos ou touros, ocorrem normalmente.

A tiração de sarro de parte a parte é o que diverte. Esse é o clima e não me parece que tenha dado algum problema.

No entanto, é muito diferente aqui, onde o comportamento esperado é outro.

Segundo, o local. A eventual ofensa ocorreu no Blog do Buonanno e se foi assim tão grave deveria ser respondida lá e não aqui e tampouco no Blog Carangos e Afins. Não sou nenhum bicho e não mordo.

O pior é que nada foi respondida, simplesmente foi dado a entender aqui e no Carangos & Afins que eu seria um maldito, um inimigo da classe colecionadora, que desrespeito o trabalho de outrem, essas coisas.

E daí se for verdade que sou um inimigo? Um "dimônio"? Um desrespeitador do trabalho de outrem? Vai mudar alguma coisa?

Só me resta agradecer o alto nível de importância dado à minha pessoa, mesmo negativo sempre é bom, isso já dizia o Getúlio com o seu falem mal, mas falem de mim.

Embora não administre o Blog do Buonanno, tenho motivos para dizer que o Milton dá toda liberdade de manifestação a todos, ofensores e ofendidos.

Se isso tivessse ocorrido lá me pouparia de ter que vir aqui reiterar o que penso e de certa forma ser mal educado ou no mínimo inconveniente com o dono do espaço e com seus leitores e participantes.

No fundo, fui obrigado a vir falar de corda em casa de enforcado, mas lamentavelmente, esse foi o custo e nada pude fazer para evitar e também não evitaria.

Permitam-me citar o CONVITE. O CONVITE foi colocado dentro do contexto do blog dito acima e evidentemente não foi entendido como um convite formal. A maioria dos tópicos apenas relata fatos, eventos e acontecimentos.

Fora do contexto do referido Blog, jamais faria pouco de um CONVITE por mais que pensasse mal do mesmo, sou meio educadinho, quase um lord inglês e sou pobre, mas sou limpinho.

abs,

Helio Herbert disse...

Zulinno me desculpe,pedi para o meu amigo Luis Augusto dar uma olhada no post,quem trouxe os comentários para cá foi você e não eu,e não vejo necessidade de explicação de sua parte,você não fez nada de mais ,só colocou o seu ponto de vista.Eu tenho o direito de comentar o ocorrido com os meus amigos, é natural não me leve a mal ,não quero cometer injustiça nenhuma,nem fazer de você o grande vilão dessa estória.Se eu tivesse a pretenção de esticar essa conversa é claro que me utilizaria dos blogs aos quais nós participamos,de minha parte como disse não muda nada,continuo respeitando a sua opnião e espero que não fique rancor entre as partes envolvidas,pois sou uma pessoa muito querida no meio e não tenho inimigos e procuro fazer o meu trabalho da maneira mais honesta e transparente possível.
Caso mude de idéia o convite continua de pé,apareça pois será bem recebido por todos nós.H.H.

Luís Augusto disse...

Amigos, tudo isso serviu para que eu conhecesse o blog do Buonanno, no qual estou me divertindo muito.
Abraços