sábado, 1 de maio de 2010

BOA SURPRESA


Apesar do encontro do Alphaville de hoje ter sido boicotado pelos próprios organizadores, que preferiram não divulgar onde seria a reunião do Veteran (dava para ver seus exclusivos bólidos passando direto pelo condomínio em direção a Ouro Preto), boas surpresas apareceram por lá num total de cerca de 15 carros, entre eles o Passat TS 77 e o Bel Air 56 que já apareceram por aqui. Inédito foi esse Camaro Z28 1995 com motor V8 LT1 350 (5.7 litros, 275 cv líquidos), câmbio manual de seis marchas e apenas 18 mil milhas, residente em BH desde 0km e em estado impecável de conservação. O Camaro teve quatro gerações antes da atual, sendo este um representante da quarta, que foi de 1993 a 2002. A mecânica padrão era um V6 com câmbio automático, mas essa versão vinha sempre com o LT1 - uma evolução do small-block que havia aparecido no Corvette em 1992 - mantendo viva a legenda da sigla Z28, associada ao Camaro desde 1967.

20 comentários:

roberto zullino disse...

A Veraneio GT do Xicão passa em cima dessa Veraneio GT aí. Comigo guiando, porque o Xicão é pé de breque e só sabe guiar a baratinha.
Pelo que vi, o clubinho é seleto e alta sociedade belzontina não se mistura com a pobrada.

Luís Augusto disse...

Pois é, pena que faço parte da pobrada.

roberto zullino disse...

Mas agora com o MGB pode ser que te deixem entrar como sócio subalterno, aquele que tem que ir buscar os drinks, não esqueça a gravatinha borboleta.

Luís Augusto disse...

Num tô interessado. Nunca fiz parte desse tipo de agremiação que só corrobora seu ponto de vista sobre o perfil dos colecionadores de carros antigos.

roberto zullino disse...

Mas eu não gosto de carro antigo, o que me permite achar que os colecionadores são uns malas.
Já quem gosta tem que se submeter, pois devem ter alguns momentos que permitam o deleite da atividade, poucos, mas certamente devem existir.

Luís Augusto disse...

Gosta sim, só não o admite. Seu conhecimento não é compatível com o de quem não se interessa pelo tema.

Thiago disse...

Sei não, mas parece que até gente do clubinho não sabia que não teria o encontro no local de sempre. Quando estava eu indo ao Alphaville, não para o encontro, mas sim para o outro evento que estava tendo, vi o Sting Ray laranja, parecido com o de um 'dotô' aqui de BH, voltando para belzonte e nem era 15h ainda. Enfim, quando cheguei ao Alphaville, estavam o Buick preto e o Mustang azul, só vi isso. Mas o engraçado é que nem a secretária do clube que organiza o evento, sabia desse evento paralelo no Alphaville, e ainda assim confirmou o horário e o local de sempre. Vai saber o que a 'nata' pensa. Araxá, here we go!

Luís Augusto disse...

De qualquer forma o encontro foi legal. Tive a oportunidade de conhecer o Passat do Edivaldo e ele realmente impressiona pela qualidade de restauração.

Gustavo disse...

Parece a Super-Maquina da TV, que era um Pontiac se não me engano.

Luís Augusto disse...

Gustavo, acho que era um Trans-Am! Mecânica igual à do Camaro.

roberto zullino disse...

O dotô Luís está muito enganado, meu conhecimento de carros antigos é devido muito mais à vivência do que admiração. Fui muito mal criado nesse aspecto porque meu pai era um fanático e tinha 2 ou 3 carros ao mesmo tempo, meu pai teve 220 carros ao longo da vida e nunca foi colecionador. Conheci a maioria desses carros hoje em dia na mão de colecionadores e posso garantir que meu pai teve praticamente todos e todos eram umas porcarias. Ainda bem que depois dos anos 60 o véio sossegou o facho e ficou nos Vw, DKWs e Del Reys.
Não tem nenhum carro antigo que seja superior ao Uno Mille em confiabilidade, segurança e desempenho, um Uno Mille dá pau em uma viagem em qualquer carro dos anos 40, 50 e 60. Podem escolher marca, cilindrada, modelo, o Mille acaba com todos em uma viagem para Campos do Jordão.
Nunca tive um carro antigo na minha vida, a não ser esportivos tipo Puma, Bianco, Envemo Coupê, mas isso não eram antigos, eram carros mistos entre pista e rua e todos receberam alguma toque diferente na mecânica para andarem mais com confiabilidade.
Conheço carros esporte dos anos 30,40,50 e 60 porque acompanhava corridas e esses carros sempre participaram de corridas e sempre fui assinante da Motorsport, que por sinal existe desde 1924.

Pé de Chumbo disse...

Zullino, você está bem?

Talvez umas férias no Caribe....

roberto zullino disse...

Pé,
Não preciso de férias em caribe algum, afinal nem trabalho muito no pesado, apenas falei a verdade.

Luís Augusto disse...

Hehehe, gosta sim, senão por que estaria aqui, no blog do Camaro e no Carangos e Afins? Gostar de carro antigo não é apenas idolatrá-los, pode ser gostar das discussões que o tema envolve.
Só acho que o seu argumento do Mille ser superior a qualquer um é fraco, já que, do ponto de vista técnico, qualquer coisa que veio depois tem que superar seu antecessor. Coloque um piloto mediano hoje em dia ao lado do Fangio ou do Clark e ele daria um passeio nos veteranos. Coloque um zagueiro da segunda divisão para marcar o Pelé ou o Garrincha que ele não teria a menor dificuldade. Isso não torna ícones do passado sem valor, eles têm que ser analisados dentro do seu contexto histórico, assim como os carros antigos.

Marcos disse...

Gosto deste Z38 !
Mas prefiro o Trans Am. É mais elaborado !
É incrível o que este carro tem de chão, inclusive no molhado. Inacreditável que tenha um eixo rígido na traseira.
E ainda dá para tirar fácil mais uns 100 cavalinhos do motor...

Luís Augusto disse...

Oi Marcos, bem-vindo! Realmente a GM amarrava o LT1 do Camaro para ele não ficar no mesmo patamar do Corvette. 100 cv a mais podem sair dali sem muito esforço!

Tohmé disse...

Eu fui no dos ricos...he, hE

Mauricio Morais disse...

Sempre gostei de Camaros, desde o primeiro modelo, e acho este modelo dos anos 90 bonito, mas que nega as características dos antecessores.
É um carro muito futurista e pouco agressivo, que para mim sempre foi a grande marca dos Camaro, falo do design da carroceria e da motorização.

Artur.Y disse...

Belo Camaro, embora essa geração não lembrava muito os primeiros carros, de 1967/69.

Estava bem alinhado à concorrência da época.

Conheceu o Edivaldo do TS verde?

Luís Augusto disse...

Sim, sim! Grande figura, carro espetacular!