quinta-feira, 18 de março de 2010

NOVOS VENTOS


Depois do sucesso dos pequenos esportivos de dois lugares de pequena produção no mercado brasileiro dos anos 60, verificou-se uma mudança de tendência apontada pelo Esplanada GTX em 1968: o interesse crescente do público pelos esportivados derivados de modelos de produção em massa, como ocorria com os muscle-cars da mesma época nos EUA. Como era fácil aproveitar um desenho já existente e adaptar faixas pretas e mostradores em profusão e considerando-se que todas as Big Three apostavam suas fichas no Brasil, aquela foi a época de maior identificação dos modelos brasileiros com conceitos de esportividade americanos da virada dos anos 70, notadamente nos Maverick GT e Charger R/T, cujos projetos nasceram, de fato, em Detroit. Também os estilistas do Opala SS (de projeto europeu, mas com "alma" americana) e do Corcel GT (totalmente europeu, mas com estilo de carroceria específico para o mercado brasileiro) se esforçaram para "americanizar" o máximo possível o visual dos seus esportivos - desnecessário dizer que a mecânica estava longe do que era disponibilizado para o consumidor de lá. Das quatro grandes que estavam instaladas por aqui, apenas a Volkswagen parecia insistir na fórmula que havia funcionado na década anterior com o Karmann Ghia, ao criar o TC e o SP2, ambos de sucesso comercial apenas relativo. Como não havia nada em Wolfsburg capaz de se aproximar da brutalidade dos musculosos de Detroit, foi preciso esperar a chegada do moderno Passat para dar uma resposta à altura e, de quebra, mudar os rumos da esportividade dos nacionais, já que o TS, de 1976, foi o primeiro esportivado a adotar um visual sóbrio, contrapondo-se aos faróis escondidos, capôs em preto-fosco e falsas saídas de ar dos concorrentes. Seu ótimo quatro em linha de 1.6 litro e 80 cv líquidos (o Passat LS vinha com um 1.5 de 65 cv, ambos sintonizados com o que estava disponível na Alemanha), aliado à leveza e ao ótimo comportamento dinâmico, fez do TS um estradeiro da melhor qualidade, superando em vários aspectos os seus adverários de motores até três vezes maiores e criando um novo conceito de prazer em dirigir para o motorista brasileiro. A fórmula deu certo e o TS pode ser visto como precursor de alguns ícones dos anos 80 como Escort XR3, Kadett GS, Gol GT, Monza S/R e, claro, o seu sucessor GTS Pointer, que soube manter a excelência em desempenho e a sobriedade das primeiras safras. O modelo 1977 da foto acima é do Gustavo Viggiano aqui de BH, a quem também pertence o Pointer que apareceu por aqui em priscas eras e que acabou ficando sem os créditos corretos na época - correção feita com um ano e meio de atraso. Será que o André sabia da existência desses modelos tão bem restaurados?

118 comentários:

André Grigorevski disse...

Colocar essa foto chega a ser maldade comigo!

Luís, os carros na verdade são do Edivaldo, pai do Gustavo. A familia inteira é de "passateiros" e ainda tem um TS 82 no forno. Não só conheço todos eles, como já tive a oportunidade de dar um passeio nesse TS a alguns meses atrás quando visitei BH.

O TS é algo acima do sensacional. É simplesmente como andar em um carro 0km, porém com carburador e platinado. Foi um dos melhores trabalhos de restauração que já vi, pois ao contrário do que muitos podem pensar, as peças de acabamento são difíceis de encontrar e pelo estado em que o carro se encontrava, ele ressucitou.

O Pointer foi feito com o mesmo cuidado e apesar de conhecer por dentro e por fora não tive ainda o prazer de dar uma volta, mas o acompanhei entre São Paulo e Curitiba em 2007, quando fomos ao 2º Encontro Nacional de Passat e o pessoal daqui do RJ encontrou outros amigos em SP para seguir viagem. E dava gosto de vê-lo na estrada...

Pra quem é de BH e gosta de Passat, o Clube do Passat - MG se reúne todo 3° domingo do mês no estacionamento do Minas Shopping, a partir das 9:00.

E BH tem outros Passat em estado impecável, que tive o prazer de conhecer. É uma ótima cidade, hehehe...

Gustavo disse...

Maldade mesmo, esse carro está espetacular! Adoro Passat foi meu primeiro carro.

Francisco J.Pellegrino disse...

Tive um destes em 1977 andava bem, verde metálico, ótimo carro para a época.

M disse...

Mas o trabulador era uma merda !

Luís Augusto disse...

Hehehe, dirigi um LS 76 e nunca sabia se havia entrado a primeira ou a ré!

Gustavo disse...

Cambio ruim mesmo era o de alavanca longa de 75, o de 76 ja era de alavanca curta, impreciso na 1º mas bem mais esperto.

Pé de Chumbo disse...

Eu tinha uma merdinha dessas, 77...

O M tem razão, pra trocar marcha era uma bosta.

roberto zullino disse...

Nessa época eu tinha uma Vemaguete 1961 standard com motor de corrida, carburação tripla, cambio longo, freios a disco campagnolo dunlop. Passava esses coitados de 1,5 e quatro marchas na Piaçaguera Guarujá em terceira e punha a quarta nos "zuvido" da vítima. Era hilário ver a cara de decepção do incauto tomando um cacete de uma Vemaguete velha. afinal, tinha comprado o supra sumo da tecnologia propagada, tudo mentira, eram paralíticos.
Sempre achei esse carro podrão, muita lata para pouco carro, desconfortável e inseguro, além de mal feito e mal acabado. Pior que isso só o Santana, esse desmancha sozinho.
A VW só acertou no Golf, e acertou de cara desde os primeiros, o resto como esses aí foi só experiência e ensaio, feitos apenas para ganhar dinheiro.
Os primeiros ainda tem o desenho do Giugiaro e são os mais bonitinhos, o de farol simples, o resto é coisa de maloqueiro, principalmente aqueles com 4 faróis retangulares e umas aplicações vermelhas.

Luís Augusto disse...

Zullino, os primeiros Passat tinham um problema crônico de tratamento da chapa na coluna C esquerda e muitos apodreceram mesmo. Quem me contou a história foi um lanterneiro veterano da VW. O acabamento do painel era frágil, mas melhorou muito nos anos 80 e o carro ficou excelente, tanto que a VW não conseguia "matá-lo" para dar lugar ao Santana e ao Gol GT/GTS (no caso do Pointer).

Francisco J.Pellegrino disse...

Os carros fabricados no ano de 1977 o "TRABULADOR" como disse o M era muito bom, o pobrema já havia sido resolvido.

André Grigorevski disse...

Não vou entrar em guerra de carros... Ainda mais comparando com DKW, que é uma marca que eu gosto muito (e nos Blue Cloud que participei, vários donos dos Vemag vinham conversar e falar sobre ótimas lembranças que tinham com Passat que já tiveram, fora os que ainda possuiam um). Carro antigo não se compara. Simplesmente se curte, sem fanatismos e desrespeitos que infelizmente ainda ocorrem.

O câmbio "alemão" (na verdade era brasileiro... porque era chamado de alemão eu não sei) equipou os Passat até 1976. O modelo 1977, caso deste TS, já tinha o câmbio mais justo, um espetáculo. Com o motor 1.6 e carburador Solex de corpo duplo então, nem se fala!

Porém, mesmo o câmbio antigo, apesar de impreciso, não precisa de muita coisa pra se acostumar e não errar a marcha. Bem mais tranquilo do que muitos câmbios na coluna.

roberto zullino disse...

Olha aqui o André e outros menos votados, desrespeitar é desrespeitar alguém e não uma coisa reles como uma merda de um carro.
O que falei era que os primeiros Passats eram uma merda, tomavam pau da minha Vemaguete, mas eram bonitinhos, quando melhoraram o carro ficou cafona.
Aquela merda de pointer cheio de vermelhinhos é o apogeu do mau gosto, só faltou neon verde para cagar mais.
Já estou cheio de ser acusado de desrespeitar coisas inanimadas, quem faz uma acusação dessas sequer sabe a definição das coisas. Não se desrespeita coisas inanimadas, no máximo se consegue desrespeitar seres humanos e animais.
Se não gosta não leia. Se não me topa não se refira a mim, pois eu jamais me referi a ninguém, muito menos a você ou a ninguém, só comento sobre coisas.
A linha Passat sempre foi uma porcaria, tanto que acabou logo na matriz.
O carro certo da VW sempre foi o Golf, o resto é lixo.
Agora fica todo mundo cheio de dedos defendendo essa porcaria que só foi fabricada aqui para nos enganar e tirar a nossa grana. Que colecionem esse lixo, tem gosto para tudo.

Luís Augusto disse...

Divirjo! O Pointer foi o melhor esportivo de sua época e ainda conseguiu ser mais sóbrio do que os concorrentes, que se valiam de aerofólios, faróis de milha e outros penduricalhos que ele nunca teve. Seu desempenho e estabilidade são muito bons para os anos 80 e ainda dentro dos padrões atuais. Para a realidade do mercado de uma republiqueta falida dos anos 80, ele sobrava. Sobre os pioneiros, não tenho embasamento para contestar, mas me parecem opções bem mais modernas do que Dodge 1800, Corcel ou TL. Sobre a VW, além de ter acertado no Golf (e no Passat, na minha opinião), teve também o Fusca como grande bola dentro.

Artur.Y disse...

Confesso que sou fã desse carro, senão não teria um, TS 1978. E olha que tenho um dos melhores VWs importados, um Golf mkIII e um dos melhores nacionais, Gol GTS!

Neste final de semana fui a um encontro de carros antigos e foi na rodovia que descobri como é bom ter um antigo que aguenta o dia a dia. Foi uma viagem tranquila e segura, sempre dentro da velocidade permitida.

Rodovia não é lugar de pilotar, mas na tocada normal ele passou vários outros antigos que estavam indo ao mesmo local. Nessa hora eu pensava: Putz, prefiro o meu Passat!

Existem carros mais belos, mais raros, mais esportivos... Porém o carinho ao Passat é insuperável.

Desconsiderar esse carinho é de uma insensibilidade desumana. Não é agradável ler adjetivos depreciativos e gratuitos para algo que é minha paixão. Se não gosta do carro, não comente aqui. ;)

Reginaldo disse...

PQP... é cada uma mesmo... O mundo seria melhor se cada um, antes de escrever uma verdadeira diarréia mental, pensasse antes "eu devo postar o que penso em postar?" Criticar Passat? GTS Pointer? O que tú gosta então? Vemaguete de verdureiro?

Bem, eu tenho um Passat 75. Para falar a verdade, o trambulador não é a melhor maravilha do mundo realmente, ponto. Mas não chega a ser uma "merda" completa, o engate dele só perde mesmo para o dos passats mais modernos na minha opinião, pega um bem ajustado para ver.
Podres? De crítico, só na saia do porta-malas, e se estiver dando infiltração no porta-malas. Caso contrário, vai longe. E também, nenhum carro da época fugia a regra, basta ver um Corcel... um Opala... Chevette... o sistema de drenagem não era bem bolado.

Mas vou falar: para mim, Passat não foi o melhor dos anos 70 talvez... mas nos anos 80, a prática levou a perfeição e garanto que foi o melhor carro nacional dos anos 80.

E tenho dito.
E para falar mal de Passat, como digo, "não me apareça mais aqui". Maloqueiro. rs.

roberto zullino disse...

Falo o que quiser sobre coisas, jamais dirijo meus comentários a quem quer que seja.
Passats sempre foram carros medíocres, a VW só acertou no Golf.
Se não gostam não leiam.

6º Encontro Nacional de Carros Antigos de Teutônia disse...

6º Encontro Nacional de Carros Antigos de Teutônia/RS 19 a 21 de Março/2010. Junto com o evento ocorre a Dia 21 de Março/2010 será realizada a 2ª Subida de Montanha em Teutônia/RS.

M disse...

Ôôô, Maloqueiro !
VC está definitivamente caduco !
O trambulador das jostas só melhorou na 2a. série de 79, quando foi completamente substituido.
O do seu 77 ainda era uma merda.

André Grigorevski disse...

Sinto-me honrado em saber que apenas com uma preparação do mesmo nível de competições para ultrapassar um 1.5 com seu humilde carburador de corpo simples, voltado para a economia. Devia ser mesmo hilário ultrapassar com um motor de competição alguns carros originais que estavam circulando nas ruas. É um ótimo parâmetro para comparação.

Mas meu amigo Luis, permita-me mudar de opinião. A linha Passat sempre foi uma bela porcaria mesmo! Nenhum carro baseado no Audi 80 daria certo, isso é fato. Na matriz foi produzida apenas 8 anos na sua primeira geração (hoje em dia as gerações duram 15, 30 anos, não?) e vendido não apenas na Alemanha, mas também na Inglaterra, Suécia, Áustria, Holanda, Bélgica, França EUA/Canadá, e mais uma infinidade de países pelo mundo. Creio que isso seja uma aberração e a primeira prova de que o veículo em questão é mesmo uma porcaria.

E lembrem-se que o carro quase afundou a VW por aqui. Afinal, o motor era igualmente uma porcaria e ninguém sabe porque serviu como base para uma linha de motores que foi usada em diversos modelos. O sistema de refrigeração era retrógrado: eletroventilador? Pra que isso? Deveriam ter usado o sistema de termossifão ou então o ventilador ligado à correia, bem mais eficientes. Afinal, é tão gostoso ver aquela poça de água no chão após estacionar. Ou então, melhor ainda, manter o motor refrigerado à ar. Imagino que essas 3 opções devem ser utilizadas até hoje, dada a sua eficiência. Tração dianteira, uso de homocinéticas? Ninguém usa mais isso, estava fadado ao fracasso desde o início. A estabilidade então era criticada desde 1974, o carro não se mantém em curva alguma e mesmo nas retas ele dá suas escapadas. Mas a indústria brasileira sempre foi tão ruim que nunca conseguiu fazer nada melhor. Aqueles títulos de marcas vieram por algum motivo extra-terreno (talvez porque não houvessem mais DKWs correndo). Circuito duplo diagonal de freios? Isso é frescura e coisa de carro inseguro. O próprio câmbio era mesmo uma porcaria, pois nos primeiros anos vários senhores de idade avançada tinham dificuldades de engate. Mesmo o 77, apesar dos engates justos, ainda é um lixo. Deveria vir um mapa no manual para que a gente encontre as marchas no câmbio. Ou então o câmbio na coluna, pois encavalar um ou outra marcha é aceitável. Se o Passat foi durante quase 10 anos o carro mais moderno do Brasil e costumava desbancar concorrentes em vários quesitos, certamente não foi por qualidades no projeto, mas por defeitos nos projetos concorrentes.

Se ainda hoje, depois de alguns milhões de modelos produzidos, o Passat sobrevive no Brasil e no mundo, deve ser porque ninguém veio até aqui ler os comentários e saber toda a verdade sobre o Passat.

Se por aqui ainda cruzamos o Brasil dirigindo modelos de 25, 35 anos, e chegamos sem problemas, deve ser por puro milagre. Afinal, ninguém quer comprar essas porcarias hoje em dia.

Mas felizmente existem aqueles loucos que gostam de colecionar lixo e guardam estas porcarias em casa, livrando o mundo de um mal maior. Tem gosto pra tudo mesmo. Tem até, por exemplo, quem goste de réplicas e seja feliz assim, vejam só. Fica sonhando com a Vera Fischer (a dos velhos tempos) enquanto na verdade está com a Zezé Macedo ou o Tião Macalé (os dos últimos tempos). Freud explica?

Fico por aqui pois o tempo é precioso. Tenho que dar uma volta nas minhas porcarias, pois se duraram até hoje, podem se desmanchar amanhã.

roberto zullino disse...

Uma mosca criada em uma garrafa de vinagre acha a garrafa o lugar mais dôce do mundo.

Se a menção à replica foi para me atingir, melhore. Foi feita em casa especificamente como carro de corrida, correu mais de 60 corridas, teve mais de 10 vitórias, um vice campeonato e um campeonato paulista de velocidade no asfalto na categoria classic light de 2003.

Foi feita para ser um carro de corrida e teve sucesso, que é o que importa. Como carro é uma merda, prefiro andar com minha Alfa 145 Freccia d´Oro que tenho desde nova e ainda não deu motivo para troca, o dia que der vai para o lixo, que é o lugar de lata velha.

A vida é ilusão, portanto achar que está com a vera fischer é ótimo, mesmo que na verdade seja a zezé macedo. Pelo menos de ilusão se vive.

Pior é ficar com a zezé macedo sabendo que está com a zezé e ficar feliz com isso.

Renato disse...

Eu adoro o Passat. Cresci passeando e viajando nos Passats que passaram pela família. Sempre adorei o carro e por isso quando da oportunidade de comprar um carro e preservá-lo não tive dúvidas em minha escolha. Claro que escolhi um Passat e consegui encontrar um TS 1980 que me faz muito feliz. Mas diante dos comentários me identifiquei mais ainda com o Passat. Se ele é carro de maloqueiro esta no meu perfil. Sou torcedor do Corinthians, moro na Zona Leste de São Paulo e tenho um Passat. Enfim maloqueiro e sofredor graças a Deus.
Abraços, Renato

André Grigorevski disse...

Meu comentário não foi sobre ninguém. Comento apenas sobre coisas, não sobre pessoas.

Porém, se se sentiu atingido, não posso fazer nada. Se não gosta, não leia.

Anônimo disse...

Veículo réplica é como uma moça de 1,85 metro de altura, loira, sem celulite e com gestos femininos, que sabe muito bem como agradar um homem.

De longe é coisa linda que chama atenção. Mas de perto você começa a ver que não é legítima (sem contar que sempre tem um acessório a mais na moça).

Assim como a moça, chama a atenção alheia e fica bonito na foto, até alguém descobrir a farsa.

Lembrando: estou comentando sobre a réplica e não sobre alguém em específico, aqui deste recinto virtual. Comento sobre coisas, e não sobre pessoas diretamente. Se não gostou, nãi leia! (desculpe a falta de criatividade, pois este comentário é uma réplica)

Anônimo disse...

Uma verdadeira plantação de abobrinhas. E ainda por cima, de um xará... Valha-me Deus!
Já tive Vemaguet nos seus tempos áureos, depois, vários outros carros, e enfim, seu descendente direto: O Passat!
Guardadas as proporções de época, foi disparado o melhor carro que tive! Tanto que foram 5, enquanto existiram aqui com esse nome.
Comecei com um TS 77 - um imenso salto a partir de um Karmann-Ghia cheio de veneno - outro TS igual, um LS 78 3 portas, um GLS 83 e enfim, um Pointer 88 imbatível, deu pau até em Omega 3.0, já então um "senhor idoso" com 5 anos.
O meu xará aí detesta(va) o carro, e estava certíssimo! Duvido que tenha tido um! Ainda bem.
O carro se sentiria mal.
Aí, xará, você conheceu a Romi-Isetta? Motorzinho central 350 cc, depois 500 cc? Já imaginou levar um pau duma dessas? Ou de um Gordini? (Já ouviu falar?)
Pois se você fosse para Interlagos ou qualquer outra pista na época desses carros preparados, na suposição de que seu Alfa 145 (é esse?) já existisse, provavelmente levaria um pau mesmo...
"Ah, mas você está falando em pista!"
Sim, estou... E você de Vemaguet com 3 bocas, caixa longa, etc. E esta postagem de Passat original. Ou não? Porque se formos falar do Passat e do motor AP nas pistas... aí acaba o assunto, né?
Vou te contar uma:
Assisti pessoalmente, no Autódromo do Rio (antes de inventarem o Cesar Mala)um Fusca e um Buggy darem o maior pau numa Ferrari das boas, da qual não me lembro direito o modelo, mas acho que era uma Boxer. E na reta, na arrancada, nem dependendo tanto assim de um piloto...
O segredo? Não havia segredo, era escancarado! Motores preparados para competição!
Então, xará, não há como comparar computadores com jantares, ou aviões com música, nem motores de competição com os de série. Conceitos diversos para aplicações diversas.
Passat foi meu melhor carro em todos os tempos, incluindo os atuais - guardadas, evidentemente, as proporções.
E o carro que me dá mais prazer, atualmente, é justamente um DKW 61.
Entendo muito bem, portanto, de ambos. Um é avô do outro.
Você gosta de abobrinha, um perfeito direito seu...
Mas aqui é lugar de lagosta (vermelha e cafona), o que você está fazendo aqui? Largando estrume para plantar mais abobrinha?
Tchau, cara, vai procurar tua turma...

M disse...

Ôôô, Dotô !
Já imaginou este bando de tarados discutindo suas preferências em Lindoya, ao-vivo-e-a-cores ? Sai morte, com toda a certeza !
Mas pior mesmo é o maloqueiro nem lembrar que o traMbulador do 77 era uma merda.
Hehehehehehhh...

Pé de Chumbo disse...

Zullino, você me deixou uma duvida cruel:

Será que alguém tinha coragem de pegar a Zezé Macedo?

Luís Augusto disse...

Prezado(s) Anônimo (s),
"Brigas" e polêmicas são permitidas até certos níveis aqui no blog, desde que vc (s) se identifique (m).
Peço retificação dos comentários com os respectivos nomes, senão eles serão apagados.

roberto zullino disse...

eu leio tudo, mesmo que não goste e não levanto a saia quando me desagrada alguma coisa.

gostaria que apontassem apenas um carro nacional digno de menção e de participar de algum concurso internacional do tipo Goodwood ou Pleble Beach.

o blog é livre e não vou procurar turma alguma que ninguém manda em mim, falo o que quero, faço o que quero, sou eu que paga minhas contas. e também não quero amizades, já as tenho.

roberto zullino disse...

Pé,
Pelo que vejo sem dúvida, eu diria até que era muito requisitada como pode se verificar aqui mesmo.

roberto zullino disse...

Não citei nome de ninguém, apenas respondi a um que me citou,
não vou editar nada. Você que apague se achar, mas o faça direito.
por mim apague o que quiser, já causei azia nos colecionadores de lixo e isso é o que importa.

Artur.Y disse...

Desculpe Luís.

A postagem sobre a réplica foi minha.

Maldita conta do google. hehehe

roberto zullino disse...

Construa uma, ponha para correr, corra mais de 60 corridas em interlagos, ganhe umas 10, seja campeão e depois pode falar.
Ser piloto de escrivaninha é fácil, vou mandar fazer umas alavancas de câmbio e uns volantes para o Dotô sortear para os pilotos de escrivaninha. Vai ter aquela ventosa para fixar, coisa cara e bem feita.

André Grigorevski disse...

Tem dono de carro travestido ficando irritado por aqui... Mas é verdade e tenho que concordar: quando uma certa idade chega, o máximo prazer (ou único, quem sabe) que se consegue é perturbando a paciência alheia. Em alguma coisa a pessoa tem que ser boa, não?

Mas posso dizer que, pelo menos da minha parte, está bem divertido ler alguns fundamentos bem argumentados e que "provam" que o Passat é um lixo. Afinal, eu gosto de ler ficção de vez em quando.

Artur.Y disse...

Por favor, não se dirija mim (mesmo que indiretamente).

Primeiramente, considero seu trabalho de montar um carro de corrida uma bela empreitada.

Não tenho capacidade técnica e econômica de levar um carro à pista. Por isso, com toda sinceridade, o máximo que devo fazer é parabenizá-lo por isso e por seu sucesso.

Lembrando: Réplica é uma merda, por se passar por algo que não é.

André Grigorevski disse...

Mais uma vez tenho que concordar com o que foi dito: "Mosca criada em garrafa de vinagre acha a garrafa o lugar mais doce do mundo". Mas é bonito ver o orgulho de um vencedor de corridas de réplicas.

roberto zullino disse...

Se gosta de ficção leia, mas demorou para parar de levantar a saia na primeira crítica aos lixos.

A idade trás o cinismo, o que é ótimo, pois aumenta a capacidade crítica, todo mundo chega lá.

roberto zullino disse...

opiniões de quem desde cara reconhece não ter capacidade ficam prejudicadas.

roberto zullino disse...

Nunca corri contra réplicas, deve estar enganado de pessoa. A classic-light permitia qualquer carro, desde que usasse pneu biscoito e carburador 40 mm.
Não vejo nada de mal se orgulhar de ser campeão, pouca gente pode ter esse atributo de ter demonstrado em uma competição que foi o melhor, afinal corridas são para isso mesmo, mostrar quem é o melhor. A modéstia é um dos meus atributos, mas nesse caso não se aplica.
Aqui, pelo menos nçao tem nenhum campeão paulista, sequer de peteca.

Artur.Y disse...

Reconhecer o feito de outras pessoas e elogiar passou a ser sinal de derrota?

Incrível como tem pessoas que só respeitam quem bate nelas. Basta pensar que muita gente respeita um bandido com uma arma na mão, mas nunca dá atenção a um trabalhador na rua.

Isso não me torna pior que o Sr, muito pelo contrário. Elogiar um feito e reconhecer que se gasta muito dinheiro, tempo e paciência é positivo, pelo menos na terra que vivo.

Não tenho interesse em pista. Ter um troféu de plástico só para esfregar na fuça dos outros não está na minha lista de desejos, pois não preciso provar que sou melhor ou pior que alguém.

roberto zullino disse...

ótimo, continue assim.

roberto zullino disse...

Estamos saindo do tema e passando a discutir réplicas, vitoriosas por sinal, mas deslocadas do assunto.

O fato é que a indústria nacional até o momento não produziu nada que preste ou que seja colecionável seja por soluções técnicas, seja por qualidade, projeto inovador ou mesmo desempenho. Foi sempre uma ind´sutria teleguiada de suas matrizes na direção de só se fazer vacas leiteiras de leite ruim.

Não há um carro nacional digno de figurar em alguma exposição internacional a não ser com atração circense ou exótica.

A engenharia das fábricas é mera copiadora e tradutora de projetos e quando se metem a fazer alguma coisa fazem amerda do Fox por exemplo.

As iniciativas de formação de uma indústria nacional passaram sempre por idiotas, doido ou pilantras, estão aí os exemplos da Gurgel e da Indústria de Automoveis Presidente e seu inefável Nelson Fernandes que está fazendo campanha para virar santo, só se for daquela igreja do edir.

Apontem um carro que possa ir a Goodwood que garanto que vai.

M disse...

MAS o trambulador do Passat era uma merda !!!!
E lembrei de outra boa ! "Alguéns" citou o primo Audi 80 como o perfeito inspirador da josta. Tem razão ! Mas quando quebrava 1 dos coxins, o motor caia no chão !

Zuzu,
Ocê tá atacado hoje, né ? Tome 1 vermelhinha e 1 verdinha e enfie 2 dedos na tomada, que acalma...

André Grigorevski disse...

Olha, estou preocupadíssimo com Pebble Beach e Goodwood. São de grande importância na minha vida e nem tenho dormido pensando nisso...

Renato disse...

Humildade e respeito não fazem parte da vida de algumas pessoas desta discussão. Acho interessante ver criticas aos veículos que foram fabricados no Brasil até hoje e por outro lado se gabarem de serem vencedoras de provas de carros que foram fabricados neste mesmo país. Parece-me que falta uma coerência. Se todos são merdas, presumo que os que os dirigem também o são e não fazem por merecer os títulos que conquistaram. Nunca chegariam ao pé dos pilotos de fora. Que o diga Emerso, Piquet, Senna e outros.
Abraços, Renato

Francisco J.Pellegrino disse...

Vamos aos fatos: O "maloqueiro" sou eu e que não me tomem o apelido, por favor. Não percebí pelos posts que alguém tenha chamado outro de maloqueiro por ter um Passat ! fui com muita honra proprietário de alguns deles nos anos 70 e 80, continuo com minha opinião o TRAMBULADOR do modelo 1977 TS não tem nada a ver com os carros produzidos em 1976, era muito bom, deixei muito DKW e outras tranqueiras no chinelo na antiga Pedro Taques, pois "maloqueiro" que se preza tem apartamento na Praia Grande em "MANGANGUÁ" KKKKKKKKKKKKK (já há 25 anos mudei prá Republica Federativa de Bertioga, início da Praia Grande do Norte))

roberto zullino disse...

As cassandras não podem ouvir críticas que já saem falando em humildade e desrespeito, levanta a saia que é mais digno pelo menos.

Emerson, Piquet, Senna e até o rubeta jamais ganharam nada com carro nacional lá fora. Mesmo aqui o formula ford do rubinho é um Reynard com motor e cambio de delrey cinco marchas com a primeira retirada, dirigi faz um mês em Guaporé, é um carro inglês, nada tem de nacional a não ser o motor e cambio bastante modificados para fins publicitários.

Aliás, o Emerson acabou com a carreira ao tentar correr com um híbrido. Acho que não é necessário se relembrar do açucareiro.

Ao contrário do acreditado, quem dirige merda aprende muita coisa, essa é a razão do sucesso do Emerson, a melhor formula que dirigiu aqui foi o FittiVê, um bom carro que tive a oportunidade de guiar longamente em Guaporé a convite do Paulo Trevisan. Mas está a anos luz de um formula ford ou formula 3 de 1969. Para o Emerson sentar nesses carros foi uma baba, tinham motor, suspensão de triângulos e regulagens. Para quem tinha dirigido Fittiporsche, Fitive, Fittidoismotores, Malzoni e outras tranqueiras foi um passeio, basta ver os resultados. O Senna nunca correu aqui de carro, só de kart.

Não há um automóvel nacional digno de menção ou colecionável, a não ser como exotismo.
Nem poderia ser diferente, todos foram aqui fabricados depois de não darem muito certo nos países de origem e foram vendidos a um mercado sedento de mercadoria. para que fabricar coisa que preste? Manda fazer qualquer merda que os caras compram.
Isso continua, o Fox fabricado aqui e vendido na europa foi escolhido como um dos melhores da categoria, inclusive em segurança. O vendido aqui sequer pode se submeter ao exame de tão ruim e os dois são o mesmo carro fabricados na mesma fábrica.
É só comparar um golf primeira geração com esse lixo de Passat, dá até vergonha.

roberto zullino disse...

A maioria só coleciona esses lixos na esperança que valorizem e sejam vendidos a preços altos. Podem ficar tranquilos que é isso que vai acontecer, o que não falta é mercado para essas merdas.

por isso, ficam todos nervosinhos com medinho de desvalorização de seus ativos se alguém pôe os pingos nos iis. não se preocupem, sempre tem alguém que compra caro e a coisa continua, é o mercado.

Artur.Y disse...

Realmente existe uma burrice muito grande no mercado. Essa burrice é decorrente da atitude de pessoas que só tem olhos para o lucro.

Aquela famosa história do carro esquecido na garagem, comprado por R$ 2.500,00 e vendido por R$ 25.000,00. E quem mete bronca nisso é chamado de pobre.

A maioria não dá bola para a história do veículo ou mesmo para a emoção que ele traz (lembrar do passado difícil é saudável).

A uns dias eu cotei a vinda de um Golf mkI da Europa, mas no meio do caminho dei conta de que eu não me identificava com o carro. Como explicar sentimentos?

Mas existem pessoas que não pensam só na valorização do veículo antigo. Gasta-se muito dinheiro restaurando um carro antigo, mesmo sendo um nacional. E elas fazem isso por emoção, um sentimento meio burro, mas sincero!

Renato disse...

Pelo visto a maior Cassandra aqui é o Sr. que se ofende e responde a todos os posts. Alias acredito que você deve ser premiado com o titulo "O Dono da razão" ou " O melhor do Brasil" (quer dizer do Brasil não porque aqui só tem merda).

roberto zullino disse...

Respondo por que tenho tempo, mas não maltrate as palavras, uma hora me chama de sr. e outra de você. Decida-se, não tenho nenhuma preferência.

Aceito o título de melhor do Brasil, mas melhor seria melhor do mundo, visto que conforme você disse com toda razão, aqui só tem merda.

A modéstia é um dos meus mais importantes atributos, como já devem ter notado.

Ainda continuo insistindo, as cassandras ficam nervosas porque temem que seus investimentos se desvalorizem, sempre tem a esperança de tirar o cú da estaca com um passatezinho guardadinho.

Os clubes existem para isso, para comércio e de preferência empurrar porcarias para os recém chegados, é a vida. "cumércio" puro, não podem ser chamados de colecionadores.

Artur.Y disse...

Não só Passat (aliás, o Passat não tem tanto valor assim).

Impossível achar um legítimo Maverick GT por menos de R$ 20.000,00. Qualquer carro enferrujado e com um cansado V8 vale seus R$ 30.000,00. Muito dinheiro, dinheiro fácil.

Opala, SP2, Karmann Ghia e uma infinidade de antigos nacionais que não valiam muita coisa e hoje são investimento.

Renato disse...

Como te chamar não vem ao caso, pois se formos chamá-lo da forma que merece seremos com certeza indelicados com os demais usuários. Senhor ou você com certeza é melhor que se pode tratar um pessoa de tanta inteligência, modéstia e educação como você. Alias parabéns. Tenho certeza que você realmente deve ter muitos amigos. Imagino se eles forem iguais a você. Deve ser agradável ter uma conversa neste grupo. Um melhor que outro!!!!! Devem ficar igual aquelas crianças querendo um ser melhor que o outro.
Para sua tristeza não vou responder mais a você vossa excelência, pois tenho mais o que fazer e tenho com quem conversar. Acho que não é o seu caso. Pois é a Cassandra do fórum, deve ser mais um motivo de orgulho para você. Acho que não deve ter com quem conversar e procura o que fazer sendo essa pessoa sensacional no fórum. Parabéns !!!! Ahhh!!! Só pra destacar. Você diz que no Brasil só tem merda. Sendo você o melhor do Brasil. Pode se concluir que você é a ............ Novamente Parabéns. E fique ai esperando novas respostas para poder usar toda a sua modéstia e educação.
Boa noite titio !!!!

roberto zullino disse...

Vocé já se definiu, agora está tentando definir os outros, não perca seu tempo, estou acima dessas coisas.

Apenas para lembrar:

"Renato disse...
Eu adoro o Passat. Cresci passeando e viajando nos Passats que passaram pela família. Sempre adorei o carro e por isso quando da oportunidade de comprar um carro e preservá-lo não tive dúvidas em minha escolha. Claro que escolhi um Passat e consegui encontrar um TS 1980 que me faz muito feliz. Mas diante dos comentários me identifiquei mais ainda com o Passat. Se ele é carro de maloqueiro esta no meu perfil. Sou torcedor do Corinthians, moro na Zona Leste de São Paulo e tenho um Passat. Enfim maloqueiro e sofredor graças a Deus.
Abraços, Renato"

Nada mais a acrescentar, depois dos teus posts depois desse, vi que o mesmo foi muito verdadeiro, nunca vi autodefinição tão boa, tem tudo detalhadinho, um primor, a parte do maloqueiro atpe assustou o Xicão que acho que iria perder o apelido.

roberto zullino disse...

Dotô,
Dá para mudar a foto para um de 4 portas? Assim dá para colocar um taxímetro capelinha e a luz de TAXI no teto. Aí si vai ficar mais adequado.

M disse...

Alto lá ! Que bando de folgados !
A única pessoa que tem licença prá chamar o Chicão de Maloqueiro é eu !!!!!
Para vocês, o jovem ancião peralta é Dr.Francisco !

Dotô !
Bota uns Gurgel agora, que eu quero ver estes bairristas defenderm a josta !

roberto zullino disse...

Bem lembrado, as obras primas do doutor Gurgel merecem destaque. Fora a posição dele contra o proácool de medo de faltar alfafa no refeitório.
meu vizinho tem uma Moto-Machine, um BR800 menor e com a lateral de acrílico. Fui dar uma volta, é simplesmente appaling, o pior carro que andei na vida, é inacreditavelmente ruim, mal feito, barulhento, nem na russia antiga conseguiriam vender a merda. aqui venderam bem, hahahahahaah

Luís Augusto disse...

Caramba, fico o dia inteiro fora e vcs fazem uma celeuma dessas!!
Uma conclusão: independentemente de quem tem razão, a Volkswagen lidera folgadamente o ranking de polêmicas aqui no blog!

roberto zullino disse...

Lidera porque depois do fusca só fez lixo. Nada demais, tome um remedinho que passa.

Luís Augusto disse...

Não senhor!
Estou na turma que defende os Passat. Não vivi a época do seu lançamento, mas, como garoto aficcionado por carros nos anos 80, posso dizer que ele sempre foi um ícone. Ainda peguei o restinho do seu apogeu quando comecei a dirigir (tinha um LSE) e o Pointer era mais desejado do que qualquer Gol Bolinha Plus da época. A qualidade dos últimos Passat é indiscutível, uma das provas está no Iraque, com verdadeiras sucatas ainda rodando bravamente. A estética pode até ser discutível, mas garanto que fazia sucesso entre a molecada, que gatava horas comparando-o ao Escort XR3, que sempre perdia.

André Grigorevski disse...

Nosso campeão tem tempo de sobra pra responder e está ficando cada vez mais nervoso. O vocabulário está cada vez pior, sem contar as generalizações que vem fazendo desde o início e estão cada vez mais pessoais. E não podemos esquecer que ele começou a escrever sozinho agora, atirando pra tudo o que é lado. A última vítima é o pobre Gurgel. Fico com pena desses senhores ranzinzas, mas eles merecem companhia de vez em quando e não me importo de estar fazendo este favor a ele... Só espero que o estoque dos tarja-preta esteja abarrotado, pois ele vai precisar.

Mas falando sobre o mercado, nunca comprei Passat pensando em vender depois. Já os tenho a bons anos e não me interessa vender nenhum. Nem sei bem como anda o mercado.

Aliás, como anda o mercado, campeão? Carros travest... digo, réplicas, são valorizadas? E Alfas 145? Entram em Pebble Beach? Tem que entrar, não? Senão é merda. Conta aí pra gente como foi a sua participação nos últimos anos! Eu ficaria feliz em saber.

roberto zullino disse...

obrigado pelo campeão, respeito é bom e eu gosto.. o dia que tiver coragem e colocar a bunda em um carro de corrida e for campeão eu devolvo o tratamento com prazer.

apenas para esclarecer, quem lembrou do gurgel foi o Mister M, apenas achei interessante.

minha última participação em Pebble Beach foi com meu MGB vermelho e andei na 17 mile drive e na pista de Laguna Seca com ele.

fui várias vezes, visto estudar em Stanford que era bem perto de Carmel By the Sea onde costumava passar meus finais de semana.

acho que a Alfa 145 seria muito bem recebida lá, afinal é raridade nos USA, mas não seria por merecimento, como disse seria apenas pela raridade, é apenas um Fiat Tipo bem feito e melhor desenhado. um excelente carro, escolhido pela 4R como um dos melhores usados no mercado e ainda tem excelente desempenho deixando os A3 na poeira.

Se você não sabe como anda o mercado, muito menos eu, não me interesso por essas coisas. quando quero vender, coloco preço e o mercado que se dane.

Paulo Henrique disse...

Sempre sigo este Blog, e Luís tenho que te parabenizar, colocando sempre carros de qualidade nas fotos! Parabéns, Passat simplesmente impecável e sem mais palavras. Agora algo me deixou surpreso, como desvirtuou o assunto do carro, é brincadeira, até agora NÃO VI sequer UM ÚNICO COMENTÁRIO sobre o carro da foto! Só vi pessoas criticando o Passat que por mais que tenha seus defeitos, até hoje tem admiradores, e assunto sobre replicas e sobre corridas. Então fica ai uma dica, voltem ao assunto central, e se querem falar de corrida, que postem em outro lugar, mas que PAREM, e voltem ao assunto central! E a você Zullino, fica ai a dica, o assunto central é Passat e não Alfa 145, e muito menos corrida!

roberto zullino disse...

Meu caro Pedro Henrique,
acho que você não leu atentamente, eu apenas dei minha opinião sobre o lixo postado, quem citou replicas e Alfas não fui eu, apenas respondi as perguntas por respeito à curiosidade natural dos blogueiros. ao que perguntou se a Alfa iria a Pebble Beach respondi que sem dúvida, iria ser muito bem recebida. em Goodwood nao vale, porque sou amigo do cara que escolhe os carros que é apenas o maior jornalista de automobilismo antigo e dirige uma réplica de um Jaguar type C e adora, muito melhor quw o original.
Só estou esperando o blogueiro mudar a foto para um quatro portas com taxímetro capelinha e luz de taxi na capota.

André Grigorevski disse...

Caro Paulo Henrique, veja que os primeiros posts eram sobre o Passat. E o meu, especificamente, era sobre o TS da foto, que tive o prazer de andar.

Infelizmente, logo depois apareceram os comentários ranzinzas e o assunto descambou. Mas até que está bem engraçado.

roberto zullino disse...

Não vi nenhum comentário ranzinza, apenas verdadeiros.
Ainda estou aguardando a troca da foto por um de quatro portas com capelinha e luz de taxi para continuarmos no assunto Passat, um bom carro para Taxis.

Pedro Henrique disse...

Está certo, mas eu acho que está faltando respeito com o Luís, pois foi totalmente desvirtuado o assunto central, e você pedir para mudar, me desculpe, mas na minha opinião você chegou no limite da falta de respeito! Se você não gosta do carro, não precisa chegar aqui e criticar da maneira que criticou. Simplesmente não posta e respeite! Da mesma maneira que você disse sobre a DKW, eu DETESTO o carro, não gosto e não me desce, e não vou virar para você e dizer o que acho ou não sobre o carro, isso eu prefiro respeitar pessoas como você que gosta! Da mesma maneira, que eu não acho este Passat um dos mais bonitos, mas não tiro seus méritos, por ser um carro que marcou a sua epoca no Brasil, e que quando chega em encontro um no nível do que foi mostrado na foto, eu vou até o proprietário e vou parabenizá-lo, porque hoje em dia não é fácil ver um Passat deste nível! É de se admirar o que o proprietario fez, este Passat da foto, está MARAVILHOSO, digno de um carro que merece sua placa preta! O Passat que eu acho maravilhoso é o Passat GTS Pointer, que no entanto tem pessoas atrás deste carro, para guardá-lo, pois foi um dos carros mais desejados dos anos 80, com aquela frente cromada, aquele 1.8 na grade, quando você estava na estrada com o Fusca, vinha aquela frente simplesmente MARAVILHOSA no retrovisor e você deixava o cara passar para admirar o carro dele.
Então eu sinceramente, sugiro a você que respeite quem goste de Passat, mesmo que para você o carro seja um lixo, quando você vê um TS 1977 como este da foto na rua, você olha o carro e pensa, nossa que carro INTEIRO. Enquanto as outras pessoas, serve o mesmo, que respeite por mais que não goste do carro, é o principal de qualquer pessoa EDUCADA.

André Grigorevski disse...

Não há o que agradecer. Fui educado para sempre respeitar os mais velhos, independente do merececimento ou da educação ser recíproca.

Quando perguntei de Pebble Beach, pensei que leria algo sobre os últimos eventos e não de 40 anos atrás. Mas tudo bem, este evento nunca me interessou.

Sobre quem você conhece e se a pessoa dirige réplicas (tem gosto pra tudo, não é?), sinceramente nada me importa também.

Quanto ao táxi, melhore os argumentos (que já estão bem fraquinhos faz tempo...). Se eu encontrar uma foto de um Passat táxi, 2 ou 4 portas, faço questão de enviar ao Luis. Profissão honrada, que não merece descrédito.

roberto zullino disse...

Quem falou que gosto de dkws? quem falou que gosto de algum carro nacional? São todo lixos.
Vou repetir novamente. Só se desrespeitam pessoas e animais, coisas não podem ser desrespeitadas.
Se alguém se sente ofendido que se lixe, está se ofendendo à tôa. Podem falar o que quiserem de meus carros e motos que não estou nem aí, sao apenas latas.
O que importa para mim é a verdade e não ilações românticas sobre carros que nunca passaram de mentiras.
Se não gosta, não leia.

Pedro Henrique disse...

André, só para esclarecer sou o Paulo Henrique também, meu nome é Pedro Paulo Henrique, diferente mas legal!
Então, vi sim o seu comentário, e gostaria de ter tido o mesmo prazer que teve de andar neste Passat TS, pois sem sombra de dúvidas, as pessoas da rua olhavam e elogiavam certo? Mas então, agora é o que comentei, foi desvirtuado o assunto, não tem lógica mais! Isto me deixa chateado, pois um Blog que gosto de acompanhar e ver o comentário das pessoas nas fotos, ter um dos carros que mais marcou história no coração das pessoas, ser tratado dessa maneira!

roberto zullino disse...

Se não te interessa, não pergunte, voltei em 97 e 2003, mas sem carro, continua igual.

Pedro Henrique disse...

Zullino, me desculpe a pergunta, mas qual a sua idade? E qual a sua profissão?

roberto zullino disse...

minha pessoa não está em discussão, pode ver no meu blog se te interessa tanto.

Pedro Henrique disse...

Certamente você tem mais de 40 anos e entende o que é respeito, quando disse respeito não foi AO CARRO, mas sim AS PESSOAS, AOS ADMIRADORES DE PASSAT, e PRINCIPALMENTE AO LUÍS DONO DO BLOG, pois você desvirtuou o assunto proposto, e está criando uma polêmica sem fim! Agora se não está satisfeito com a opinião das pessoas sobre o carro, sobre o que as pessoas acham, e você ainda insisti em criticá-las que você se retire, como propôs para os outros participantes!

Artur.Y disse...

Pedro Henrique, eu tenho um Passat TS 1978, na mesma cor do Passat 1977 do Edivaldo.

Se eu, com meu carro reformado e feito na economia recebo elogios na rua, fico imaginando como deve ser passear com o TS do Edivaldo.

Esse carro foi feito no capricho e carinho, em cada detalhe.

Quando vier a Londrina-Pr, está convidado para dar uma volta no TS! hehehe

roberto zullino disse...

Não critiquei ninguém, apenas o carro, eu que fui criticado e provocado apenas por que não fiquei babando ovo pelo intocável Passat.

Não propus a que ninguém se retirasse, onde leu isso?

Não disvirtuei nada, apenas respondi sobre meus carros por ser provocado/perguntado. Como os acho umas latas tanto faz responder.

O Blog é público, cada um fala o que quer, se não gosta não leia.

Pedro Henrique disse...

Mais um? Olha, fico surpreso de ver como as pessoas estão procurando preservar o passado, e a história de muitas pessoas, Artur, parabéns a você também que procurou preservar o que dá gosto de ver, carros antigos, em uma "condição física" de tirar o chapéu. E olha, estou pensando em ir mesmo, dar uma volta no seu TS, pois não tem nada mais gostoso, do que você ter algo que marcou a história, e receber elogios. Eu estou finalizando um projeto meu, e logo logo, irei realizar sonhos!Agora o TS do Edivaldo, sem palavras, gostaria de ver mais fotos. Luís, fica ai minha sugestão, uma pagina apenas sobre este Passat do Edivaldo!

Pedro Henrique disse...

Então Zullino, que você releia todos os teus posts, que você verá que você desrespeito e sim, tanto ao Luís, quanto aos participantes ao falar do Passat.
Sobre desvirtuar, veja o seu 4º post, me mostre aonde você disse algo sobre o tema proposto! Se você conseguir me dizer aonde você diz sobre o Passat, ai eu assumo meu erro em dizer que você desvirtuou o assunto e te peço desculpas! Agora caso contrário, se eu estiver certo, você não precisa de dizer mais nada, apenas ficar calado e concordar na sua consciência com o seu erro! Sem sombra de dúvidas o Blog é público, se não gosto, não vou ler, mas o assunto me interessou, é algo que eu gosto, e você me incomodou, e incomodou a tantos outros com a sua maneira de tratar o carro, e a maneira que desrespeitou os admiradores! Se não gosta do carro, não poste sobre ele, legal você ultrapassar com o seu carro com motor de corrida e cambio modificado, um carro com um motorista desprevinido e sem espirito de corrida. Mas respeite as pessoas com as opiniões delas!

roberto zullino disse...

Não vou reler nada, apenas falei do carro e respondi quando foi provocado ou perguntado.
Se te incomodo não posso fazer nada, você é problema seu e não meu.
Não vi nenhum desrespeito ao Dotô, muito ao contrário ele adora barracos que enchem o blog.
O exemplo da Vemaguete foi apenas uma história pitoresca de quando foram lançados esses lixos com os motorzinhos asmáticos e 4 marchas, eram uma porcaria, tanto que foram modificados. Não contei que tive que abrir várias vezes o motor, a pedido, no Guarujá, pois não acreditavam serem passados daquela maneira por uma reles Vemaguete.
Apesar desses primeiros serem asmáticos eram bonitinhos, depois o departamento de estilo cagou o carro.
Compre um 79 à álcool, anda mais no guincho ou rebocado do que por meios próprios.
E pare com essa bobagem de desrespeito e educação que comigo não cola. Falo o que quero, não ofendo ninguém, não me dirijo a ninguém, não estou interessado em emoções dos outros e só me refiro a coisas inanimadas, se levantam a saia por causa disso não é problema meu.

Pedro Henrique disse...

Eu não vou levantar e sair por causa disso. E sim você errou, e não quer assumir, no entanto que não vai ler o que você mesmo postou. Legal isto, você relembrar da sua história, no entanto que nela tem um PASSAT, então é um carro que marcou também a sua história, pois por mais que você tenha suas opiniões sobre ele, ele marcou a sua vida, você ultrapassando ou sendo ultrapassado por ele! Você não apenas me incomodar, mas incomoda sim a TODOS que gostam e expressam suas opiniões aqui. E sobre desrespeito e educação isto não é bobagem, pode não colar contigo, pois fica claro que você não tem respeito e muito menos educação! Pode falar o que quiser, mas você se dirigiu não a alguém, mas sim aos admiradores de Passat, e as pessoas que frequentam este Blog.

roberto zullino disse...

Se você que não tenho respeito ou educação não posso fazer nada. Pouco me importa, pense o que quiser, não te conheço e para mim não muda nada. Ademais, educação e respeito são conceitos inventados para dominar a baixa burguesia, sequer tem legitimidade e são subjetivos.
Não me dirigi a admirador de Passat algum, não conheço nenhum na minha lista de amigos, sequer conheço esses admiradores, não tenho nenhuma opinião formada sobre eles, podem ser boas pessoas ou serial killers que para mim não faz diferença alguma.
Apenas falei que o carro é uma bosta, entendeu? Carro bom da VW dessa época foi o Golf.

Pedro Henrique disse...

Certamente, para mim não muda nada também em te conhecer ou ter você no meu ciclo de amizade! Agora se para você, educação e respeito estão incluidos neste seu conceito, acredito que para muito não estão incluidos não, principalmente ao que se diz respeito a uma pessoa mais velha. Em nenhum momento acredito eu que lhe faltei ao respeito, pois sou mais novo que você e tenho que te respeitar, isto não é conceito para dominar a baixa burguesia, isto está incluido na educação que tive dentro de casa, e na lição de vida que você pode vir a me ensina.
Agora, você não desrespeito os admiradores diretamente, mas sim indiretamente, no entanto que vemos aqui 3, 4, até mesmo o Luís é um admirador de Passat, no entanto que ele postou no Blog, algo sobre o carro. Claro que eu entendi a sua opinião sobre o carro, agora me diga, quando o Golf veio a fazer sucesso no Brasil? Apenas quando lançou o modelo em 1995, quando já estava na terceira geração, e em 1995, o Passat já havia saido de linha, então querendo ou não, o sucesso da VW no Brasil se chama Passat, você concordando ou não, a VW apenas sobreviveu ao Brasil com o Passat, o carro era uma novidade, motor AP, refrigerado a água! Isto foi uma "revolução" na indústria automobilistica brasileira. Agora, não precisa de tratar o carro dessa maneira, se você não gosta, tudo bem, eu não gosto e pronto! Agora vir criticar e chamar de lixo da maneira que você chamou, infelizmente você foi muito infeliz neste comentário, pois o Passat podendo ser importado para o Brasil existe até hoje. E até hoje, quando se fala em Passat no país em que vivemos, as pessoas não pensam no Passat importado, mas sim no Passat NACIONAL, que marcou época e é admirado por muitos. Então faça o que quiser, mas não trate dessa maneira uma história nacional automobilistica. Eu não gosto de Fusca, não gosto mesmo, é um carro que jamais gostaria de ter, mas acho legal para quem gosta e quem tem. Estão reconstruindo a história. Cada um tem a sua história, tenho certeza se você dirigir hoje um DKW, e tiver um Passat na rua, você irá ultrapassá-lo e lembrar no mesmo instante do que você viveu. Então é um carro que também marcou a sua época. Entende o que quero dizer? Sei que não irei mudar a sua opinião sobre o carro, mas só gostaria que você não tratasse dessa maneira um carro que marcou a história de muitos, e um carro que vive um momento em que colecionadores estão começando a admirá-lo e está sim, virando um carro de colecionador! Me desculpe se tratei você sem respeito a algum momento, mas está é a minha opinião!

Edivaldo Moreira disse...

Caro amigo Luiz, O Gustavo me mostrou os convites que vc tem feito a ele para irmos ao Alphaville.
Sei que é um ótimo encontro, então estou dando um trato no carro para irmos e ter o prazer de conhece-lo pessoalmente.

Lendo as respostas dos comentário um dos amigos sugeri fazer um documentário sobre os carros em questão, será um prazer para mim.

Sempre tive esta paixão pelo Passat e sempre que possivel aumento a frota ou sempre guardo umas peças para reposição.

O GTS Pointer por exemplo é um carro que sempre quiz ter nos anos de 1985-89, mas infelizmente as condições não me permitiram.
Mas hoje graças Deus tive essa condição e onde divido esta paixão com meus amigos.

Tenho o TS77, o GTS Pointer e estou terminando o TS82, detalhe que sempre procuro usar peças originais e mante-los totalmente originais.
Tenho conseguido isto pelos vários amigos espalhados pelo Brasil.
Foi uma satisfação muito grande de além de conseguir realizar este sonho, conseguir também amigos em quase todos os estados do Brasil.

Mas como meus amigos sabem, espero ainda encontrar um POINTER 1984 em ótimas condições para completar esses esportivos.


Caso precise de mais informações sobre os carros e suas versões é só perguntar.
Temos uma turma de admiradores que gostariam muito de ver suas relíquias postadas em seu BLOG.

grande abraço

roberto zullino disse...

Indo direto ao ponto não esclarecido, não estou interessado na choveção no molhado dos demais quanto a respeito, educação e que tais, valores do conformismo juramentado não me interessam. Se alguém se sentiu ofendido que se ofenda, pelo menos é alguma coisa diferente. Aliás, aprendemos com quem nos faz chorar, os outros nada ensinam.

A VW tinha um carro excelente na época que era o Golf primeira geração e que fez um sucesso estrondoso nos USA e Europa. A VW teve que abrir uma fabrica nos USA só por causa do Rabbit que era o nome do carro lá.

Para variar, aqui resolveu fabricar um carro que não vendia tanto lá, como sempre o faz a indústria automobilística. Mandou o ferramental para cá e passou a fabricar o Passat ao invés do Golf.

Sempre o tal vamos vender o que fizermos para ignorantes e vamos ainda remeter dinheiro de volta pelo envio das máquinas e ferramental. Esse é o golpe mais velho das multis, mandam máquinas já depreciadas a um preço astronômico.

Não há um carro nacional com história diferente dessa, são todos micos em seus países de origem e foram enviados para mercados das colônias sedentos de qualquer porcaria fabricada que andasse. Isso se aplica aos DKws, Fuscas, Aero Willys, Simcas, Opalas, Darts e outros defasados. Até o nosso decantado fusca sempre foi inferior em qualidade e projeto do que os da matriz.

O modelo industrial sempre foi baseado nisso, carros defasados ou de insucesso, envio de máquinas amortizadas e usadas, mas a preço de ouro e vamos levando e ganhando grana a rodo dos bobocas.

A indústria coreana é posterior à nossa, não há marcas estrangeiras lá e nem por isso não fazem sucesso.

O que estão preservando é a mediocridade em termos de carro e mediocridade em termos de história.

Artur.Y disse...

Edivaldo, sem dúvidas seria muito interessante uma matéria sobre os seus carros.

Constantemente as fotos de seus carros circulam pela internet e cria-se muita lenda em torno disso.

Luís, faço votos que esse encontro seja possível e que se mostre a atividade de restauração dos carros nacionais.

Parece fácil restaurar um antigo nacional, porém esbarra-se em procura de peças, profissionais dedicados e literatura (inexistente).

Pedro Henrique disse...

O que estão preservando são histórias pessoais, e não histórias indústriais.
Que se danem as empresas, no entanto que a GM quebrou, a VW nos dias de hoje só faz PLASTIMOVEL, então você aceitando ou não o Passat foi um dos maiores sucessos de venda no Brasil. Foi um projeto internacional, mas que foi dado o jeitinho brasileiro, e independente se foi defasado ou não, hoje em dia não se fazem mais carros como o Passat.
Agora da mesma maneira o Sr, preserva uma mediocridade que é o Alfa, não temos uma montadora Alfa no Brasil, não temos carros "nacionais" Alfa, não temos absolutamente nada da Alfa no nosso país, apenas uma história mediocre de carros importados que não fizeram o mesmo sucesso que o Passat fez.
Então porque o Sr. preserva seu carro? Por gosto, por prazer, por amor e principalmente por uma história com ele. Então Sr. Zullino, é isto que os donos de Passat estão fazendo, e o Sr. não entende, tem que menosprezar o carro e os donos.
Hoje vivemos muito mais na mediocridade do que antes, hoje não se fazem mais nada como antes, no entanto que são carros considerados descartáveis. Então peço que você compreenda, que querendo ou não, o Passat tem nome, tem história, tem admiradores e tem amantes. E isto não entra na sua cabeça, por isto tanta discussão e tanta besteira da sua parte, pois você quer discutir algo que não tem fim, e simplesmente errou e tem medo de assumir!
Agora, volte ao assunto proposto, que é o essencial de cada Blog, se quiser discutir sobre isto, entramos em contato por email. Pois com certeza será uma discussão sem fim!

Artur.Y disse...

Ops! Um pequeno erro: Sem dúvida, e não sem dúvidas!

Pedro Henrique disse...

Artur, apoio você totalmente no que diz respeito a matéria dos carros do Edivaldo, pois pesquisei está madrugada, e é simplesmente FANTÁSTICO.
Edivaldo, meus parabéns a você, por resgatar a SUA história, e o seu desejo! Meus parabéns por tanta dedicação e carinho! Estes dois carros são dignos de capa de revista, e dignos de grandes e infinitos elogios!

Artur.Y disse...

Pedro Henrique, você citou algo interessante.

Quando eu era criança, nos anos 80, via muitos carros importados circulando pelo Rio de Janeiro. E lógico que para uma criança que via uma infinidade de Fusca/Brasilia/Corcel o que era legal era o diferente.

Mas sabemos que a preservação de um carro antigo é justificada não só no que representou na história, mas sim nas nossas vidas.

Na minha família ninguém teve Passat, foi um sentimento que apareceu aos 16 anos, por alguma razão que não sei explicar.

Fico imaginando se meu filho irá gostar dos carros atuais e inclusive se irá considerá-los com o coração.

Duvido muito, talvez ele siga no gosto do pai pela Mercedes e BMW, ou talvez tenha carinho pelo Passat, pelo Gol GTS ou pelo Golf!

Dificil entender sentimento.

Pé de Chumbo disse...

AHAHAHAHA!!!!!!

Muito bom esse bate-boca na sala de espera do consultório do Dotô!

Vai um chazinho de camomila aí, gente?

Ou uma Maracujina?

Eheheheheh.....

roberto zullino disse...

Quem disse que preservo Alfa? Eu tenho Alfa, coisa muito diferente. Só está aqui na garagem porque ainda serve, tem um excelente desempenho, é confortável, dá couro em muito carro mais moderno e não dá problemas, em 140 mil km nunca queimou uma lâmpada, mas na hora que começar a encher o saco vai para a rua ou para o lixo. Daqui já saiu BMW R90S, Porsche e outros menos votados.
Não coleciono coisas inanimadas porque elas acabam colecionando o colecionador.
Não sou contra ninguém preservar carro algum, mas não venham dizer que o carro é bom porque não é, é medíocre e sempre será medíocre.

M disse...

Uau ! 89 posts !!!!
Que bando de DESOCUPADOS !!!!!
Dotô, manda internar estes vagabundos !
No caso do Zuzu, acho que só resolve com choque...
Vou deixar aqui 2 sugestões para novos tópicos de grande interesse:
1.- Qual é o Sexo dos Anjos ?
2.- O ovo ou a galinha, o que veio antes ?
Abraços

Francisco J.Pellegrino disse...

Começaram a meter o pau nas réplicas, fiquei chateado, então não participei mais das discussões senão o numero de posts teria batido recorde..(é o sonho de consumo de qualquer blogueiro)...e vc M (de maloqueiro chic) deixa continuar as discussões e não enche o saco.

roberto zullino disse...

Imagina a hora que puserem o do Gurgel, vai a 200.

M, já para a casinha.

roberto zullino disse...

Xicão, não desanime que a réplica maloqueira fica pronta antes do que você pensa. Se quiser posso ir ajudar, pelo menos olhando, dando palpites, desde que tenha cerveja.

Para se ter uma réplica é preciso de algumas condições e você as tem. Primeiro, tem que ter coragem de mandar a patroa ficar quieta e gastar uma grana com um brinquedo próprio, segundo, ter o dinheiro para ter o briquedo e terceiro, tempo para usá-lo seja como for.

Portanto, deixem falar mal das réplicas, não estão falando delas realmente, mas falando das condições que não tem e isso dói.

Francisco J.Pellegrino disse...

Zullino, hj não dá para entrar em defesa incondicional das réplicas e seus fabricantes....é dia de aniversário, vou me poupar pelo meu aniversário.

M disse...

OBA !!!!
NIVERSÁRIO !!!!
Todo o mundo prá casa do Chicão Maloqueiro !
Vai ter festa, com direito a cajuzinho e meia-de-seda !!!!

Renato disse...

Parabéns Edivaldo ! Seus Passats são sensacionais e merecem todo o nosso respeito pelo trabalho que você realizou neles.

Ao Sr. Zullino.
Aceitei a sugestão!

"minha pessoa não está em discussão, pode ver no meu blog se te interessa tanto."

Agora muito me surpreende uma pessoa com a experiência descrita em seu blog escrever algo assim !

"Ademais, educação e respeito são conceitos inventados para dominar a baixa burguesia, sequer tem legitimidade e são subjetivos."

Em suas palestras e nas empresas em que você trabalhou e até comandou você usava esse mesmo estilo e tinha o mesmo pensamento??? Imagino o quanto motivada ficava a baixa burguesia!!!
Sem comentários!!!! Totalmente desprovido de bom senso.

roberto zullino disse...

Fico feliz que tenha aprendido alguma coisa, a vida é assim mesmo, aprendemos com quem não concordamos. Pelo menos aprendemos a não ser ogual a quem não concordamos. o que convenhamos já é um progresso.

O conceito que a educação tem como objetivo dominar a baixa burguesia não é meu, é apenas verdadeiro, basta olhar em volta.

Sempre interessou aos poderosos que seus inferiores fossem conformados. Educação aqui entendida como mesura, tomar sopa sem fazer barulho e comportamento conformado.

Educação lato senso é outra coisa e sempre foi negada às classes mais baixas. Afinal, a máxima da sagrada igreja sempre foi: povo burro, povo feliz. Os governos e a classe dominante apenas continuaram isso.

A baixa burguesia gosta de ouvir a verdade, mesmo que doa, assim ela percebe como é manipulada.

Pessoalmente sou até simpático, simples e falo com qualquer um. Apenas não carrego pacote.

Arthur Jacon disse...

Vai chegar a 100. Viva o Passat!

Luís Augusto disse...

Hehehe, li todos os comentários, nada a acrescentar.

roberto zullino disse...

troca a foto pela versão Táxi que só eu contribuo com mais uns 30.

Luís Augusto disse...

Aos amigos que se preocuparam porque eu poderia me sentir ofendido pelos comentários calorosos aqui postados e ao Zullino que, com sua habitual sutileza, diz que eu gosto de ver barracos só pra encher o blog.
Agradeço a todos pela participação e espero continuar contribuindo com temas que provoquem discussões, já que a maior razão de ser deste blog, como já disse antes, é a ausência de publicações em portguês que saiam do clichê. Tento sempre dar um ponto de vista diferente nos meus textos - nem sempre com sucesso, é verdade - e me sinto feliz quando o assunto que proponho rende.
Não foi o caso deste post, que não viu nehum comentário a respeito da mudança de paradigma entre os esportivados nacionais que o Passat TS representou, mas que acabou provocando outras discussões igualmente interessantes.
Ao Sr. Edivaldo, proprietário do TS em questão, meus parabéns pela restauração de altíssimo nível.

Pé de Chumbo disse...

Luis, vc vai ter trabalho até o fim da vida, pelo visto...

Francisco J.Pellegrino disse...

Luis, esta na hora de fazer um post sobre o UNO, o novo modelo está quase pronto e aí teremos assunto para uma semana...UNO é nosso tanto quanto o FUSCA e outros...

roberto zullino disse...

Gostaria de ouvir algum comentário sobre essa mudança de paradigma dos esportivos nacionais.

Esportivos com 5 lugares, alguns com 4 portas e taxímetro com luz de taxi no teto.

E eu que passei a vida inteira só tendo carro de dois lugares achando que tinha esportivos.

Dá mais uns 200 posts.

Xicão maloqueiro, primeiro meus parabéns públicos, já o parabenizei privadamente, esse post do UNO seria excelente, mas se falar mal do melhor carro nacional taco fogo na sua réplica maloqueira e na Veraneio GT.

Luís Augusto disse...

Não falei esportivos e sim esportivados.
Até Esplanada GTX teve.
E um carro que corre rali é até mais do que um esportivado, no meu ponto de vista é um esportivo, como Ford Capri ou Lancia Delta.

Francisco J.Pellegrino disse...

Se alguem falar mal do Esplanada GTX, da Nomad Brasileira e do FNM 2150 eu brigo. Quanto ao UNO fica a sugestão ao blogueiro mor, tive alguns, excrusive na frota comercial e nunca encheram o saco, a nora tem um véinho 1995, motor 1.5, tá no bagaço.
Grato pela lembrança do meu niver.

roberto zullino disse...

Não conhecia esse termo e classificação esportivado, gostei, antes eu chamava de "engana trouxa", mas esportivado é mais elegante.

roberto zullino disse...

O Uno é o único carro nacional digno de menção, os antigos, ainda com o desenho do Giugiaro, comandos por satélites, cinzeiro deslizante.
Fora que alisa lombadas, desde que se esteja bem amarrado no cinto e dá pau em muito carro na estrada.
Tive um Milho 1994 que era carro de rodízio, ninguém fazia nada, só punham gasolina. Trocar óleo só se o papai aqui lembrasse, nunca queimou nenhuma gota.
Usamos 140 mil km sem queimar uma lâmpada, sem troca de amortecedores, molas, nada. Vendi para o frentista do posto aqui da granja que ainda está usando todos os dias.
Ele veio novinho, com 8 meses, comprei da mulher de um amigo que não pagava as prestações. Telefonei na financeira e acertei tudo e continuei a pagar no nome dela mesmo, dava até dó, 220 reáus por mês, a conta de luz é maior que isso.
Estou na dúvida em comprar um UNO velho ou um Fusca, quero fazer um Fusca automático e com ar condicionado para andar por aí para humilhar o M.

M disse...

Zuzu,
Pode ir taikando seu horse aout of the rain. Falta-lhe caspacidade para tal...

Francisco J.Pellegrino disse...

A Biba Véia (desculpe o M) não anda nada...o negócio dele é Porsche estático, MG estático, Jaguar estático, Corvette estática...e depois mete o pau nos encontros estáticos...

roberto zullino disse...

Xicão,
Não entendi a manifestação do M, acho que ele se confundiu de blog e colocou no blog errado. ele deve estar muito abalado e ansioso pela luta na lama com o carioca comuna.

Francisco J.Pellegrino disse...

Zullino, com certeza, acho que ele tem problema com o alemão....anda postando coisas sem nexo no blog do Luis......o carioca comuna já afirmou q vem aqui dar um corretivo na Biba Véia (desculpe no M) mas está com receio de ser enquadrado no Estatuto do idoso.....sinistro !

roberto zullino disse...

ou na lei maria da penha.

M disse...

Alguém quer comemorar o aniversário do seu cachorro ou gato de estimação ?
Zuzu & Maloqueiro - A dupla de palhacinhos anima a sua festa...

roberto zullino disse...

Xicão,
O M matou a pau nós dois. Mal ele sabe que a dupla Zuzu e Maloqueiro vão ser a atração de abertura da luta do século a ser disputada na lama por dois anciãos, M de um lado e Carioca Comuna de outro.

Luciano Jafet disse...

Sem a menor sombra de dúvida,o VW Passat,foi o melhor e mais lindo carro nacional pequeno já fabricado!!Atualmente,tenho um GTS POINTER 88/89,um dos últimos fabricados!!!De todos os Pointer,os mais lindos são os modelos 88 e 89,devido ao belíssimo filetinho vermelho que contorna o carro inteiro!!!Os melhores Passat que já fizeram,foram os TS de 79 até 82,que tem o melhor driving do mundo,na categoria de carro pequeno!!O cambio é uma estupidez de macio e gostoso,o motor tem uma elasticidade impressionante e um silêncio incomum e a estabilidade impressiona!!!!Infelizmente,tudo que é bom deixa de existir,e não foi diferente com o Passat!!!No dia 02/12/1988,a Volkswagen do Brasil,tirou de linha o melhor e mais espetacular carro pequeno que o planeta Terra já produziu!!!!!!

Anônimo disse...

Lindo Passat ,certamente Giorgio estava apaixonado por uma linda mulher quando o projetou ,fez parte da minha infância ,pena que nunca pude ter um.