terça-feira, 11 de maio de 2010

MATÉRIA REQUENTADA

Tanto se falou sobre os conversíveis alemães de prestígio dos anos 30, que não poderia ficar esquecido o clássico BMW 328, que já foi alvo de um antigo post neste blog e que tinha uma proposta um pouco diferente dos Mercedes e Horch da mesma época. Para os fãs da Casa de Munique, acho que vale a visita. A dupla acima faz parte do acervo do Simeone Foundation Automotive Museum, Philadelphia.

8 comentários:

Carros Antigos disse...

Luís, este blog é tão chique que eu limpo os pés antes de entrar.
Parabéns.

Luís Augusto disse...

Uau, quanta deferência!
Obrigado pelas palavras, o seu também é excelente!

roberto zullino disse...

O motor dessas BMWs parece que tem um cabeçote com duplo comando, mas não é assim. O comando é lateral e aciona as válvulas por um engenhoso sistema de varetas verticais e varetas cruzadas em cima acionadas por balanceiros, mas permitindo a câmara hemisférica e cross flow. O problema é que o motor é alto e usa 3 carburadores verticais, o que piora o problema. Por isso foi abandonado quando os carros ficaram mais baixos.
Foi bastante fabricado depois da guerra pela Bristol que ficou com a licença como reparação de guerra, os famosos ACs que depois desaguaram nos AC Cobra usavam esse motor.
As condições de piso na Inglaterra sempre permitiram carros com pouca distância do chão, os Bristols podiam assim abaixar o motor para deixar o capo baixo.
A nacionalidade da BMW sempre foi posta em dúvida, a empresa sempre teve muitos links com a Inglaterra. O piloto de GP Richard Seaman, o único inglês a dirigir as flechas de prata Mercedes era casado com a herdeira da BMW.
A incensada moto BMW de 1923 era uma cópia da inglesa Douglas e depois acertaram os ponteiros com uma graninha.

Luís Augusto disse...

Bela observação! Não sabia que o Bristol do AC Ace era BMW. Sobre a ligação com os ingleses, faltou só mencionar o Austin 7 como origem do primeiro carro da marca bávara.

roberto zullino disse...

Não quis chover no molhado, vc já tinha citado isso.

Luís Augusto disse...

Obrigado por ter relido um post tão antigo, eu mesmo não lembrava da citação. Às vezes fico envergonhado com sua precisão, quem tinha que ter um blog sobre carros antigos era vc!

roberto zullino disse...

Só comento benevolamente quando acho que a solução de engenharia merece, no resto acho todos os carros antigos uma merda e a maioria merece chibata.
Essa BMW ganhou uma Mille Miglia de metirinha, foi a única corrida em um circuito em Brescia em 1940 sem oposição. Não se compara a real Mille Miglia com sua descida escarpada até o Adriático, Ravena até Roma por estradinhas e a volta a Brescia pelos passos de Futa, Raticosa e estradas com inúmeras armadilhas. Em circuito até vovó acaba aprendendo.
Na realidade a que ganhou era fechada e era um carro meio italiano, foi feito na Touring e não na BMW. Em todo caso, as 328 foram grandes carros esporte e de corrida para gentlemen.

Francisco J.Pellegrino disse...

O Zuzu voltou à normalidade, não se pode elogiar...