quarta-feira, 5 de novembro de 2008

IRMÃO ADOTIVO

O formato da seção central da grade e o brasão da hélice estilizada no bico e nas rodas não deixam dúvidas quanto ao "berço" desse belo cupê vermelho, premiado com o badalado Troféu Flávio Marx (melhor esportivo europeu) no encontro de Lindóia/2006, mas o BMW 1600 GT é praticamente desconhecido mesmo entre alguns amantes da marca, talvez por sua origem fora dos estúdios de Munique. Com exatas 1002 unidades produzidas em 1967 e 1968, ele surgiu dos apreciados cupês 1300 e 1700 produzidos anteriormente pela Glas, que foi absorvida pela BMW em 1966, mas trazia mecânica e suspensão próprios, semelhantes ao conjunto do 1600 TI. Com 105 cv líquidos e bom equilíbrio dinâmico, ele foi visto como um concorrente sério para o MGB cupê inglês, mas logo a marca bávara percebeu que lhe faltava a personalidade de um legítimo BMW e sua produção foi descontinuada para priorizar o inesquecível sedã 2002.

7 comentários:

Gustavo disse...

Meu Deus, que coisa mais linda!!! A BMW deveria ter dado mais atenção a ele, acho cheio de personalidade.

Portal Maxicar disse...

Não conhecia este modelo. Realmente sua carroceria lembra muito o MGB GT.

Julio Fachin disse...

Realmente o carro é muito bonito. Pude admirá-lo pessoalmente no Brazil Classics na ocasião da foto.

Mauricio Morais disse...

Ele também lembra muito aquele FIAT sport cupê, que chegou a correr aqui no Brasil.

Luís Augusto disse...

Grande Maurício, que prazer revê-lo! Realmente, ele tem linhas italianas demais para uma BMW, lembrando a de alguns Fiats. Mas tem seu charme, tanto que um fã da marca, como o Gustavo, gostou...

Felipão disse...

Eu também não conhecia....

Fico muito feliz em saber que um desse poucos modelos fabricados está no Brasil...

Parabéns também ao proprietário, por preservar uma máquina dessas...

Imagino a dificuldade que deve ser...

Teca disse...

Que belezinha... e como está conservado!

Beijos.