quinta-feira, 2 de outubro de 2008

VAI ENTENDER...

Como é que pôde o consumidor americano ter torcido o nariz para a linha Bel Air 55? Apesar do bom-gosto do seu desenho e por ter estreado o V8 da marca, ele sofreu críticas por ser "europeu demais", segundo a literatura especializada, principalmente por causa da grade que lembrava a de algumas Ferrari. O "defeito" foi corrigido na linha 56, como pode ser visto no 210 branco em segundo plano. O conversível da foto, premiado no Brazil Classics 2006, mostra o quanto o mundo foi injusto com alguns grandes carros...

4 comentários:

Felipão disse...

Realmente, não dá pra entender. Aliás, vc sabe alguma coisa da Ferrari 410 Superfast Speciale??? Lembro que tratava-se de uma Ferrari com rabo de peixe...

Ao vc comentar a respeito do design, me veio essa Ferrari a cabeça

Abração

Felipe

Julio Fachin disse...

O título do post é mais do que apropriado, vai entender...
O carro é maravilhoso, de extremo bom gosto. O 55 é o primeiro V8? Não sabia... qual a capacidade cúbica, em polegadas?

Luís Augusto disse...

Felipão, na 410 Superfast, Pininfarina conseguiu o milagre de harmonizar um rabo de peixe com uma carroceria muito parecida com a da série 250; Júlio, o primeiro V8 da Chevy realmente é de 1955, com 265 polegadas cúblicas (aproximadamente 4.3 litros). Esse motor foi tão bem projetado que seua concepção básica é usada até hoje no Corvette.

Mauricio Morais disse...

O Chevy 55 é lindíssimo, e agora que você falou que ele era europeizado em demasia, consigo entender porque gosto tanto do design dele.