terça-feira, 7 de outubro de 2008

COISINHA MAIS LINDA

Praticamen-te desco-nhecida do grande público atualmente, a Hanomag esteve entre os fabricantes de automó-veis mais expressivos da Alema-nha no período entre-guerras, tendo produzido, anteriormente, locomotivas e veículos a vapor. Nos anos 20, lançou diversos modelos de porte médio que a colocaram como o segundo fabricante alemão na virada dos anos 30 (perdia apenas para a Opel), mas o modelo que virou praticamente sinônimo da marca foi o simpaticíssimo 2/10, considerado por muitos historiadores como o primeiro microcarro da história, precursor de ícones como a Isetta e o Messerschmitt. Pesando apenas 370 kg, era empurrado por um motor monocilíndrico traseiro de 10 cv tão barulhento que deixaria envergonhado um hotrod e, com apenas dois lugares, não tinha sequer velocímetro no painel. O farol único fez com que surgisse a piada na época, segundo a qual bastava um quilo de latão e uma latinha de tinta para fabricá-lo. A idéia era abocanhar o mercado de motocicletas - por causa da grave crise econômica do pós-guerra, a Alemanha tinha um público gigantesco para esses veículos - e o 2/10 vendeu a razoável quantidade de 15 mil unidades entre 1924 e 1928, embora a Hanomag tenha obtido pouco lucro com a produção do carrinho, já que a instabilidade econômica dificultava qualquer atividade produtiva no país. A grossa camada de poeira e a insólita localização sobre uma carretinha para transportar motos não dá idéia da importância do modelo da foto: dos 81 exemplares que sobraram, trata-se o único 2/10 conhecido fora da Europa, segundo o seu proprietário.

6 comentários:

Julio Fachin disse...

Luis, eu já tinha ouvido falar da Hanomag, mas superficialmente. Este carro é de BH? Não sabia que havia um no Brasil. Impressionante!!!!

Luís Augusto disse...

É, Júlio, as coleções de BH impressionam...
Até onde eu sei, esse carro nunca deu as caras em eventos nacionais, mas "mora" aqui há muitos anos.

Vecchio disse...

Em qual local se esconde esta raridade? Forneça mais informações.

Luís Augusto disse...

Não dá, Vecchio, nem sempre o pessoal daqui gosta de aparecer e só divulgo os nomes dos colecionadores que eu tenho certeza de que não se importam com isso. Mas o que vale mesmo é saber que tem um desses por aqui, não é mesmo?

Guilherme da Costa Gomes disse...

Luís, se eu te mostrar uma surpresa, promete fazer o intermédio com esse proprietário a fim de conhecer o histórico particular desse carro? mais, no meu e-mail: guilhermedicin@hotmail.com
Abraço,

Luís Augusto disse...

Ok, respondido por e-mail!