quinta-feira, 7 de agosto de 2008

CLÁSSICO RARÍSSIMO

Diz a lenda que o Horch 951 Pullman Limousine 1937 da foto ao lado foi presenteado ao ditador Getúlio Vargas pelo seu colega Adolf Hitler, em uma das muitas tentativas do governo nazista de conquistar um aliado do lado de cá do Atlântico e neutralizar a influência norte-americana na região. O carro, que ficou desaparecido por muito tempo, está hoje na coleção do Pacífico Mascarenhas e foi exposto sem motor e em início de restauração no Brazil Classics 2006. A Horch era a marca de prestígio do grupo Auto Union, tendo fabricado alguns dos grandes clássicos dos anos 30, e disputava a preferência de Hitler e do alto comando nazista com a rival Mercedes-Benz, rivalidade que era estendida até as pistas de competição com as fabulosas "Silber Pfeile" (Flechas de Prata). Entretanto, após o fim da II Guerra, as instalações da Auto Union ficaram do lado soviético da Alemanha ocupada e acabaram sucumbindo ao regime comunista, dando fim à produção dos Horch. Sobre o carro da foto, a última notícia que tive dele é que o Pacífico tinha achado um motor original Horch na Argentina e que a restauração estava caminhando. Quando ficar pronto, deve ser um dos carros mais valiosos do Brasil, tanto pela sua história quanto pelo seu pedigree, já que, dos 23 fabricados, é o único do qual se tem notícia atualmente em todo o mundo.

5 comentários:

Chico Rulez! disse...

Sensacional!!! E esse Pacífico, hein... Sempre ouço dizer que a maioria dos carros dele está em péssimo estado, mas que são só raridades...

Luís Augusto disse...

Pois é, só com esse Horch e com um Packard 1937 comprado para o rei da Bélgica desfilar na inauguração da Belgo Mineira e do qual só existe outro exemplar no mundo, já dava até para ele montar um museu.

Anônimo disse...

Tópico interessante. Eu já soube a respeito de outro Horch supostamente presenteado a Vargas pelo governo alemão. Mas era um modelo 830, pequeno (3,1 m de entre-eixos), moyor V8 de 3,8 litros e válvulas horizontais (!). O 951 é um gigante com 3,75 m no entre-eixos pesando até 3 toneladas. Sua máquina era um oito-em-linha com válvulas no cabeçote e 5 litros. O carro da foto, porem, tem placas germanicas (II que significa Dresden, capital da Saxônia). Aqui no Brasil, esses Horch eram usados pelos diretores do Banco Alemão antes da II Guerra; havia um em Porto Alegre, modelo 830, confiscado pelas autoridades em 1942 e vendido em leilão por volta de 1953. De modo que a história do "presente" deve ser vista com cautela. AGB

Luís Augusto disse...

Prezado AGB, essa história da doação é puro folclore!

Anônimo disse...

Prezado Luíz Augusto, essa história é verdadeira sim, inclusive vai ser relatada na revista Classic Show no proximo ano, sei que existe muita inveja do Pacífico pelo fato dos carros dele serem os melhores e históricos de fato e não esses carros americanos sem história que o Veteran Car BH tem.