sexta-feira, 18 de maio de 2012

A SEGUNDA REVOLUÇÃO

Apesar de nunca ter focado na produção de veículos caríssimos e exclusivos, a Studebaker será sempre lembrada entre marcas de automóveis que conseguiram produzir os carros mais bonitos do seu tempo, principalmente no final dos anos 40, com a linha Champion, que representou o primeiro desenho revolucionário do pós-guerra. Graças ao talento do designer Raymond Loewy, os belos e democráticos Studs encantavam a classe média americana, que podia se servir do motor seis-em-linha do Champion ou do V8 do Commander, a partir de 1951. Em 1953, no entanto, uma linha totalmente renovada roubou novamente a cena no panorama automotivo dos EUA, sendo que cereja do bolo era o belíssimo coupé da foto acima que, segundo a crítica da época, fez com que todos os outros carros americanos parecessem dez anos mais velhos. Baixo, elegante e sem os penduricalhos que caracterizaram os "anos cromados", o cupê de Loewy parecia uma excelente aposta para a marca, mas atrasos na produção geraram indisponibilidade nas concessionárias e uma longa espera dos clientes, tirando o impacto da sua chegada; outras versões de carroceria, de produção mais simples, estavam disponíveis, mas a aceitação não foi a mesma. A partir de 1954, após a associação da Studebaker com a Packard, o belo cupê foi sendo progressivamente descaracterizado, ganhando até rabos de peixe em 1957, mas o pioneiro 1953 será sempre lembrado como um dos maiores clássicos americanos.

11 comentários:

regi nat rock disse...

realmente um belo automóvel. Gosto mais do outro com a traseira parecida com a frente, talvez, até, por recordações de um tio que tinha um e levava a molecada pro canteiro de obras na via Anchieta.(era um dos engenheiros responsáveis). Eu tinha uns 4/5 anos de idade.
Putz, faz tempo. :)

M disse...

Sem dúvida, o 53 é o + interessante !

Luís Augusto disse...

Ainda tem um verdinho na sua garagem?

M disse...

Hehehehhh...
Não ! Trouxe aquele para um amigo !
Apesar de gostar do Stud, não cabe na minha garagem !

Luís Augusto disse...

Hummmm...
Vou procurar a foto lá no Sucatas para comparar com este.

Migdonio disse...

Nao entendo nada de Studs, mas tem um bem parecido com este jogado a anos ao lado de uma borracharia aqui bem perto de casa. O carro ate que parece bom, so' esta encostado la' ha' anos.

Luís Augusto disse...

Mig, seu negócio é air-cooled! Mas os Studs têm lugar no coração de todo mundo!

Paulo Levi disse...

Também acho esse '53 o mais bonito de todos os Studebakers, além de um dos mais belos automóveis de sua época.

Loewy levou a fama pelo desenho, mas o seu verdadeiro autor foi Bob Bourke, integrante de uma equipe da Raymond Loewy Associates que trabalhava de forma terceirizada na fábrica da Studebaker em South Bend. Bourke fez o projeto enquanto Loewy estava de férias em Paris, e como o cliente já havia visto e gostado, Loewy não pôde dar grandes pitacos. Melhor assim - Loewy podia até ser o pai do desenho industrial, como gostava de ser chamado, mas os automóveis definitivamente não eram o seu forte.

Luís Augusto disse...

É verdade! O Loewy, assim como o Bertone, o Earl e o Segre levaram muito crédito pelo desenhos dos outros. Mas, na minha opinião, o que vale é que criaram uma escola.

Chico Rulez! disse...

Dr. Navantino tem um, azul-calcinha. Maravilhoso!

Luís Augusto disse...

É verdade, o dele também é cupê, mas é 55 ou 56, com mais cromados do que esse aí!