quarta-feira, 9 de junho de 2010

ARAXÁ/2010 - A ZEBRA


Com toda franqueza, confesso que fiquei absolutamente perplexo com a notícia de que meu Fuscão 1974 havia sido um dos dois nacionais premiados no evento (fora as premiações especiais). De qualquer forma, foi um grande barato desfilar pela primeira vez na passarela do encontro de antigos de mais alto nível do Brasil.

24 comentários:

Julia Dias disse...

Quem conhece o carro sabe que foi mais que merecido!!!!!

M disse...

Oi Dna. Patroa !
Não vale ! Sua opinião é suspeita !
Hahahahahhh...
Abraços,

Guilherme da Costa Gomes disse...

Parabéns Luís,
é OKm, não há o que falar!
-Coloque o Delahaye na pauta para os próximos posts, por favor.

Abraço,

Luís Augusto disse...

Blz!

roberto zullino disse...

o carro deve ter um monte de irregularidades, o espelhinho interno deve ser fajuto como pode se ver na foto, faltam adesivos no motor e no porta luvas e não tem adesivo do PT que era equipamento "de rigueur".

Dan Palatnik disse...

Merecido... Esse Fuscão pode durar o que? Bota aí mais uns 300 anos (-:

Francisco J.Pellegrino disse...

Luis, grande barato, parabéns.O puca ganhouuuuuuuuuuuu.

Thiago disse...

Parabéns, Luís!!

Uma pergunta, isso no teto e no capô, é protetor solar? =) Abraço!

Luís Augusto disse...

Hehehe, o sereno começou cedo em Araxá naquela noite, não teve jeito!

Carros Antigos disse...

Imagino tua felicidade. Tu que é um fã de Araxá, divulgador incansável do evento e suas qualidades, agora faz parte definitiva da história dele. Parabéns a vocês e ao Fuca.
Nik.

André Grigorevski disse...

Uau! Merecedíssimo!!!

Parabéns, Luis!

roberto zullino disse...

Já tem eco de discórdia da premiação de um certo fusca 1972 de um "jornalista" mineiro. Acho que foi sorte de principiante. Tá lá no blog do saloma.

Luís Augusto disse...

Texto que não merece qualquer comentário.

Luís Augusto disse...

Sorte de principiante nada! É a quarta vez que vou a Araxá levando algum carro.

roberto zullino disse...

Só fui o mensageiro, mas tenho a impressão que houve alguma patriotada mineira, hahahahahahahaha.
O cara tá puto, chamou o dotô de jornalista, o coitado estuda seis anos de medicina, mais dois de residência e mais alguns anos de especialização e acaba sendo chamado de jornalista. Ninguém merece.

Luís Augusto disse...

Pois é...
e o cara questionou um monte de prêmios, acha que o Gordini dele é mais interessante do que uma Chevy Woody autêntica, questionou a premiação do único FNM Fúria já produzido, a Giulia Spider do "diretor do veteran mineiro" (sic) que foi restaurada contando até com orientação do museu de Milão. Falou dos carros do Paulo Travisan, um grande amigo do pessoal de BH que, possivelmente, até fazia parte da comissão julgadora. Enfim, o mais triste é ver um respeitável senhor sexagenário choramingando porque não ganhou medalha.

roberto zullino disse...

Custava dar uma medalhinha? Mineirada pão dura, infringiram até o estatuto do idoso.

Luís Augusto disse...

Só complementando, parece que o texto dele não foi muito bem recebido pelos leitores do Saloma:

http://www.interney.net/blogs/saloma/2010/06/11/por_traz_do_glamour_de_araxa_2010/

roberto zullino disse...

Bateram no véio, coisa feia. Coloquei minha opinião no comparsas no post de Peeble Beach e repito aqui:

"Eu já fui, andei com meu MGB em Laguna Seca. Apesar do nível desse evento ser infinitamente mais alto do que esses eventos estáticos brazucas, feitos em cidades decadentes com comidas gordurosas e caríssimos pelo que oferecem, o evento de Monterrey oferece de tudo e para todos os bolsos. Quer andar na 17 mille drive junto com um monte de supercars? Paga e anda e não é nada exorbitante. Quer andar em Laguna seca? Paga e anda. Fora que tem Carmel onde é feito esse concurso de elegance. Americano sabe fazer as coisas e tem respeito por quem é aficcionado, fazem a coisa de maneira universal, pois o pobre de hoje pode ser o rico de amanhã, basta ver como tratam os jovens nesses eventos.
Aqui vira campeonato de quem tem o pinto maior, coisa de novo rico ou lavador de grana. Não são eventos para quem gosta de automobilismo, é apenas besteirol, a maioria dos carros nem precisaria de motor, chegam em carretas e ficam lá, Poderiam ter tijolos no lugar do motor como a Lamborghini fez quando apresentou seu primeiro carro em um salão.
A única coisa boa nos eventos nacionais são os "bailes de gala" com barangas com brocados em profusão parecendo panelas de pressão Panex.
Não tenho pena de quem se mete nesse tipo de coisa e depois fica de chororô. Queria o quê? Aquilo é ação entre amicci.

13 de junho de 2010 12:54"

http://comparsas-do-blog.blogspot.com/2010/06/monterey-historics-pebble-beach.html

Artur.Y disse...

Guerra de egos, como sempre existe nesse tipo de coisa.

Mas nada tira o brilho do prêmio! Parabéns!!!

Otávio Pantuzzo disse...

Grande Luís!
Eu sabia que era questão de tempo!
O Fusca está impecável!Esse carro é especial!
Esforço recompensado e mais que merecido!
Parabéns e grande abraço!

Luís Augusto disse...

Otávio e Artur, bom vê-los por aqui! Obrigado!

roberto zullino disse...

O dotô subiu nas tamancas e foi no blog do saloma bater no véio, coisa feia, chamou o cara de sexagenário infringindo o estatuto de idoso:
----------------------------------
"Comentário de: Luís Augusto Malta · http://www.antigomoveis.blogspot.com

Como o "jornalista proprietário do Fusca 1972" (na verdade sou médico e o meu Fusca em questão é de 1974), reitero a afirmação do Roberto Aranha. Lamentável um respeitável senhor sexagenário ficar choramingando em público porque não ganhou medalha. Também já levei outros carros em Araxá outras 3 vezes e não fui premiado, mostrando que a "conspiração" mineira só existe na cabeça de certas pessoas."
--------------------------------
Adoro barracos, hahahahahahaha

roberto zullino disse...

Acho que o Cintra fala muita besteira e já tive entrevero com ele, mas desta vez ele está coberto de razão, esses eventos não passam de coisas elitistas e uma ação entre amigos, bem típico de colecionadores de automóveis, uma raça que com a desculpa de preservação da memória usa a atividade para humilhar os outros e fazer camponatos de quem tem pinto maior.