quinta-feira, 2 de abril de 2009

QUADRIL LARGO

Listo abai-xo algumas idiossincra-sias dos DKW F-91 e F-94, dos quais derivou o primeiro carro de passageiros reconhecido como genui-namente brasileiro:
- Motor de dois tempos, marca registrada de todos os DKW já produzidos.
- Tração dianteira, em uma época em que a tração traseira era a regra.
- Câmbio invertido de quatro marchas na coluna de direção (a primeira era para baixo, como nos de três marchas de origem americana).
- Uma bobina para cada cilindro.
- E a menos conhecida: frente mais estreita do que a traseira, de modo que o golpe de vista do motorista que quisesse passar em qualquer lugar estreito tinha que acrescentar alguns centímetros para o carro não "entalar" na passagem, como pode ser notado na imagem do paralama traseiro desse belo conversível, extraída da cobertura da viagem do Flávio Gomes ao leste alemão.

41 comentários:

Germano disse...

outra coisa...o F91 foi o carro que marcou o retorno da Auto Union às competições, sendo usado em ralis no final da década de 1950

Teca disse...

Esse conversível tá uma graça!

Parabéns pelas postagens que têm feito, Luis. Hoje eu li um bocado, porque estava meio sumida daqui.

Beijos e felicidades!

Luís Augusto disse...

Valeu, Teca, mas para ser sincero ando meio sem inspiração ultimamente. Acho que as boas fotos estão acabando, vou tirar mais em Lindóia.

Teca disse...

Não desanima não, Luis. Seus textos são verdadeiras aulas para mim...

Sei que o seu tempo anda mais curto por conta do pimpolho que precisa de atenção e muito amor e carinho...

Mas está tudo ótimo.

Aguardarei novas fotos quando tiver. Não desespere... ahahaha

Beijos e recomendações a toda família.

Felipão disse...

Com exceção ao da tração, não conhecia essas...

Roberto Zullino disse...

Faltou um platinado para cada cilindro e também o melhor de tudo, roda livre.
Com a roda livre ligada podia-se ficar engatando o cambio sem embreagem facilmente.
o DKw não tem bomba d´água, a circulação se dá por diferença de temperatura entre o radiador e o motor e pelo desenho do sistema usando o chamado "termo sifão", funcionava bem e raramente se via um DKW fervendo na serra e os que ferviam dava para notar que eram mal mantidos e seus desleixados donos mereciam pagar o mico.
Os DKWs eram um pouco pesados, mas embalavam bem, freios a tambor não eram ruins, mas não eram lá essas coisas e o carro tendia a fazer barulho na carroceria depois de algum tempo, não muito, mas demonstrava antiguidade do chassis separado da carroceria. Fez sucesso aqui pela suspensão simples e robusta, feixes de mola transversais e triangulos, conforto e vamos dizer desempenho bem superior aos carros velhos importados, os fordões e chevrolets que estavam com prazo de validade vencido e que sempre foram uma porcaria desde novos. Seu único senão grave era o distribuidor na frente do motor que era inadequado para um país com enchentes, qualquer alagado parava o carro.

Luís Augusto disse...

Roda livre! Como pude me esquecer??? Tenho que estudar mais...

CHOPPMOTORRAD disse...

Realmente, todo DKW nos deixa maravilhados, em uma marca ter sido tão pioneira. E as coisas ineditas da marca, não param por aí. O projeto inicial dessa carroçaria, iniciou como F89, antes da segunda guerra. Tinha motor transversal, jogado para a parte da frente do eixo, quando os anteriores eram posteriores ao eixo dianteiro. Mas exigia-se mais rendimento, e aí o 'Tres Cilindros" venceu...

Roberto Zullino disse...

Não lembro de nenhum DKW que tivesse motor transversal.
Tinham o motor na frente do eixo, ao contrário dos Citroens que também foram pioneiros da tração dianteira e punham o câmbio na frente para quebrar na primeira encostada. Os franceses nunca fizeram nada que prestasse nessa área durante um tempo, os cardãs viviam quebrando, nos DKWs isso não acontecia. Os Citroens só foram corrigir isso com o Sapão em 1955 e as homocinéticas.
Lembro que os primeiros DKWs eram 2 cilindros com câmbio no painel e 3 marchas. Alguns tinham partes da carroceria de chapa de fibra, igual àquelas que tampavam as TVs atrás, Duratex ou similar.

PALINDROMO disse...

Mas o DKW tinha motor transversal sim, sendo inspiração do primeiro SAAB 92, bem como do famoso Trabant. Isso até o modelo F89. No modelo F91, usando praticamente a mesma carroceria/chassi, foi implantado o motor 3 cilindros longitudinal.Alguma coisinha encontra-se aqui:
http://en.wikipedia.org/wiki/DKW_F89

A Paris... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Paris... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Zullino disse...

Só um DKW tinha motor transversal, o F89, depois abandonaram a solução quando aumentaram para 3 cilindros, os Saabs sempre foram longitudinais e usaram inicialmente os 3 cilindros DKW, a menos do Monster que tinha dois motores transversalmente colocados, mas nunca passou de um protótipo.

Carro francês não quero nem de graça, as peças sempre foram um roubo e as autorizadas quase batem nos clientes, algumas o cliente só consegue alguma coisa batendo no gerente.

O 11 quebrava a coroa e pinhão sem dúvida e também quebrava os cardãs, o que não desclassifica o carro, até que era melhor que as carroças americanas que mesmo novas sempre foram ruins. Os Fords como esse aí debaixo vivam quebrando a chaveta da ponta de eixo, não tinham freios, quebravam o carretel da primeira e ferviam, os chevrolets também eram outras porcarias com suas lubrificação de pescador.

O pior no 11 era seu motor, robusto sem dúvida, mas muito de trator e incompatível com o desenho.

Os Citroens 11 foram projetados para andarem na manha, ao se apertar o carro durante muito tempo fundiam por terem consumido todo óleo do cárter, pois os cilindros eram lubrificados por espirros do virabrequim e em altas rotações comiam o óleo.

Os 15 seis cilindros Citroen eram muito confortáveis e seu motor era mais suave, além disso era um carro com aparencia menos esportiva e recebia menos abuso que os 11.

Ambos tinham o câmbio no painel projetado apenas para encher o saco do motorista.

Esse negócio de prestar serviço é romance, os carros estavam lá e iam andando de qualquer jeito até tomarem uma canhonada. Até aquela porcaria do Renault 4CV Rabo Quente deve ter seus fãs. Lata é lata, apenas isso.

Luís Augusto disse...

Tanto os DKW quanto os Citroën pagaram o preço do pioneirismo por causa da tração dianteira anterior às homocinéticas, mas são dois dos carros de grande produção de maior fã-clube no mundo, não podem ser tão ruins.

A Paris... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luís Augusto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Zullino disse...

Que é isso? Dando carteirada? Se não gostou, não leia.

Estou pouco ligando para em que vc é formado, também sou engenheiro da Poli e tenho mestrado em ciência em Stanford.

E daí? Tem um monte de gente que também é e nem por isso entende ou lembra de nada.

O que postei é o que vi e ouvi desde pequeno e convivi com um dos maiores usuários de Citroens em sampa. Viajei de 11 e de 15 inúmeras vezes. Meu pai e meu tio tiveram uns 4, inclusive um conversível 1938 que era uma rematada porcaria, (era novo, ficou parado e era ruim), além de não ter uma peça que comum com os 11.

Não desclassifico o carro, mas falar que era uma maravilha é demais. E essa da prestação de serviços é de dar dó.

Roberto Zullino disse...

E tem mais, os mecânicos sempre chamaram os eixos dianteiros de cardãs, isso os mecânicos, os pilotos de escrivaninha chamam de semi-eixos oscilantes, mas na hora de comprar acabam não achando.

Luís Augusto disse...

Não sabia disso, deve provocar uma confusão dos diabos em discussões mais acaloradas...

A Paris... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
F1total disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
A Paris... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
F1total disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
A Paris... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Zullino disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
F1total disse...

Você não se esconde atrás de pseudônimo ?

E o que é A Paris ?

Apenas não assino meu nome, como você faz, porque não sou personalistas e não tenho essa pretensão de divulgar minha identidade. Me contento em compartilhar conhecimentos anonimamente.

Mas, se você insiste, Brandes, filho de Siegfried Brandes, um dos maiores conhecedores de fuscas do Brasil, alemão que foi um dos pioneiros trabalhadores da VW do Brasil e que criou seus filhos entre fuscas.

[]´s

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
CHOPPMOTORRAD disse...

Pôxa, Luiz Augusto, que ibope!!!

Mas voltando aos DKW, reitero que os DKW tração dianteira de antes da segunda guerra, eram com motor transversal, embora colocado posterior ao eixo dianteiro. O Saab da mesma forma, citei apenas o Saab 92, conforme se verifica no Wiki abaixo. Não tenho a minima intenção de polemizar dizendo que todos os DKW e Saab eram transversais em certo período. O ferramental para produzir os DKW após a guerra foi embarcado para a parte leste, onde gerou os IFA, já com motor 3 cilindros. Somente apos um período de recuperação pos guerra, os DKW propriamente ditos implantaram o motor longitudinal, desenvolvido antes da Gerrra.

http://en.wikipedia.org/wiki/Saab_92

Roberto Zullino disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Zullino disse...

Esqueci de pedir desculpas ao CHOPPMOTORRAD, mas aqui vão minhas desculpas pela teimosia, êle merece, pois colocou até vídeo para provar, eu é que fui preguiçoso.
Nâo o ofendi, apenas disse teimosamente que não lembrava e isso é verdade, não lembrava mesmo, mas ele pacientemente fez valer a verdade apesar da teimosia do escriba aqui.
Abs,

Luís Augusto disse...

Cavalheiros, hora de colocar ordem nesse botequim!
Mensagens com ofensas gratuitas e referentes a temas e artigos fora do universo desse post foram excluídos. Um dos participantes da discussão solicitou que todos os seus comentários fossem apagados.

De qualquer forma, a intenção do post de chamar a atenção para o fato do DKW ter a traseira mais larga do que a frente parece ter sido amplamente extrapolada...

Roberto Zullino disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Zullino disse...

Meu último posta não era ofensivo, aliás jamais ofendo quem quer que seja, e foi retirado. Não sei porque.
Apenas manifesto dúvidas de como obter placa preta com cores tipo rosinha e estofamento cafona igual.
Perguntar não ofende.

Luís Augusto disse...

Cara, você não perdoa....
Como disse antes, iria censurar ofensas e temas que não fossem relacionados com o post.
Embora eu curta polêmicas, não quero que alguém por quem tenho estima e admiração se sinta prejudicado por um instrumento administrado por mim.

Roberto Zullino disse...

Não perdoo, mas não ofendo, apenas perguntei.

Você tem que colocar parâmetros fáceis e mais claros.

Não ofender é um deles. Na minha opinião é o único factível.

Não adianta colocar parâmetros tipo não quero que meus amigos sejam prejudicados. Como vou saber o que você não quer?

O fato de não perdoar não faz com que eu seja nenhum bicho, me desculpei com o CHOPPMOTORRAD, pois fui teimoso e ele tinha toda razão e nunca a perdeu, insistiu e mostrou que eu estava errado. Nenhum problema, não somos donos da verdade, não tenho nenhum problema em me desculpar quando erro.

Luís Augusto disse...

A necessidade de estabelecer esse tipo de parâmetro é totalmente nova para mim.
Com toda honestidade, jamais pensei que um blogzinho sobre carros antigos, tema sobre o qual você já deve ter notado que não sou nenhum expert, pudesse ser pivô de tamanha celeuma. De qualquer forma, se um amigo se sentiu desconfortável com o rumo tomado pela prosa, penso ser gentil da minha parte poupá-lo do que ele entende ser um constrangimento.

Roberto Zullino disse...

Luís,

A internet tem uma dinâmica muito parecida com a vida real, não há muita diferença e nem anteparos.
Ter um blog ou forum é como uma loja na rua, a porta está aberta em entra qualquer um.

Tenho experiência nessa coisa de net, pois já postei em alguns fóruns, uns abandonei e de outros fui banido, no final acabei fazendo um para mim e dou liberdade total, o povo que se mate. S

ó não permito ofensas e adjetivações a opiniões e foristas, o resto nem tomo conhecimento.

Não queira interferir e proteger quem quer que seja, pois não dá, só piora e você que não tem nada com isso se envolve.

Se me permite a sua única obrigação é fazer tópicos interessantes e de vez em quando moderar posts quando tem ofensas, não pode deixar ninguém adjetivar postadores e suas opiniões de maneira direta.

Se o cara fizer dissimuladamente, com elegância, usando figuras de linguagem, finja que não viu, o ofendido que se vire para responder com a mesma classe.

As diferenças de opinião existem e são agravadas porque as vacas sagradas que achavam que detinham o saber estão sendo questionadas e não estão preparadas para isso. Querem dar carteiradas como se estivessem em uma reunião de amigos, pois bem, não estão.

CHOPPMOTORRAD disse...

Gente querida...

Tambem já sapequei minhas mãos, em foruns de discussão, coisa dificil de acontecer atualmente. Mas como a mãe Google/Internet/Wiki... etc dão uma mão, fica mais fácil a partir de convicções, fazer a devida argumentação. O fato de usar um perfil fake, jamais deve ser argumento para atirar palavras gratuitamente. De minha parte, todos estão perdoados, e o Luiz Augusto parabenizado pelo inesperado pico em seu "ibope". É, realmente o DKW é fora de série.

Und jetz, noch ein bier...

Luís Augusto disse...

Ein Eisenbahn Fünf, bitte!

F1total disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luís Augusto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.