quarta-feira, 16 de setembro de 2009

POLAINAS


Para a linha 1985, a linha Opala/Caravan teve os delicados parachoques cromados (ou revestidos com borrachão, no caso dos modelos mais sofisticados) substituídos por peças metálicas retas que lhe davam um ar mais "corpulento", medida mantida até a linha 1990 - a partir de 1991, eles passaram a ser inteiramente em plástico injetado. Por medida de economia, suas extremidades eram acabadas com polainas em material plástico, pois era dispensável, assim, o uso de ferramental para dobrá-los e o efeito estético casava bem com os apliques feitos na lateral, como pode ser visto no impecável Diplomata 1990 da foto acima. O problema é que, após poucos anos de uso, ficava difícil manter a aparência homogênea de fábrica por causa da reatividade diferente aos produtos de limpeza e atualmente é difícil ver um Opala dessa época sem as extremidades dos parachoques esbranquiçadas. Se o proprietário do carro da foto estiver nos lendo, fica o convite para explicar como conseguiu manter um aspecto tão bom em seu modelo...

9 comentários:

Arthur Jacon disse...

As polainas estão ok; os piscas, não. Os originais são âmbar.

Luís Augusto disse...

Arthur, os piscas são âmbar nos modelos 88 e 89 primeiro semestre; nos posteriores, são brancos mesmo, mas apenas no Diplomata, permanecendo a cor âmbar no Comodoro.

Guilherme da Costa Gomes disse...

Luís, talvez mantê-los na mesma cor nem seja o mais difícil, o mais difícil é mantê-los no lugar!!
Taí um grande problema compartilhado com os DelRey, essas ponteiras caem atoa, as que se compram em auto-peças são um lixo, saem do lugar sozinhas, não encaixam... Outro carro que tem problema com as ponteiras de parachoque são os Monza anos 80... já reparou como todos eles ficam com os parachoques desbeiçados, todos tortos...

Luís Augusto disse...

Hehehe, o que era moda nos anos 80, virou dor de cabeça nos anos 2000...

Arthur Jacon disse...

Luís, a 4 Rodas fez um teste com um Diplomata 90, com o motor modificado para receber o carburador do Monza. Os piscas eram âmbar. Talvez a última fornada do modelo 90 veio com a mudança. Quanto à qualidade dessas ponteiras vendidas hoje em dia, é realmente sofrível. Uma vez fui manobrar o meu carro e, numa barbeirada básica, danifiquei umas das ponteiras. Coloquei uma nova, que ficou desbeiçada. Tive de mandar recuperar a velha, cujo surporte que a prende no parachoque é de metal, e não cede.

Luís Augusto disse...

Arthur, vc tem razão, deve ter saído só nos púltimos 90 mesmo. O curioso da reportagem da 4 rodas é que o Diplomata já apresenta diferenças de cor das ponteiras para o resto do parachoque!

Felipão disse...

eu não sei...

Mas o pessoal costumava passar silicone nessas partes, por isso que manchava, trincava e esbranquiçava...

talvez, so de evitar esse tipo produto, poderia resolver...

Mário César disse...

Malta,

Como grande consumidor de automóveis desses modelos (eu tive uma loja de autos usados), era comum comprar carros com problemas de polainas, e eu acabei fazendo um pequeno estoque com peças originais (Brasilia, Variant II, Passat, Gol, Voyage, Parati, Saveiro, Corcel II, Escort, Belina e Del Rey, Chevette, Opala, Caravan, Monza e picapes após 85), e acho que ainda tenho algumas dessas peças guardadas no meu estoque em Sampa...
Lembro que as reproduções eram fracas, e com material muito vagabundo, muitas vezes eu mesmo acabava restaurando a polaina original, lixando e repintando, juntamente com os para-choques, para dar um acabamento perfeito...
O silicone ajudava muito nessas horas também...

Luís Augusto disse...

Hehehe, Mario, com a valorização desses modelos você não vai ter muito trabalho em desovar seu estoque!