sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O POLARA NOSSO

A história do compacto da Chrysler brasileira já foi resumida aqui, mas achei que a foto merecia um post, até porque o Dodginho que apareceu anteriormente foi o 1800, que precedeu a denominação Polara. O modelo acima é de 1976, anterior à reestilização da dianteira com faróis quadrados, e foi fotografado por mim em sua posição privilegiada na entrada de uma agência de veículos usados em Eunápolis/BA, mostrando como o antigomobilismo está presente mesmo distante dos grandes centros.

12 comentários:

Guilherme da Costa Gomes disse...

Esses carrinho são danados! Eu tenho um GranLuxo 77, muito lisinho e bem conservado, mas... mesmo assim tem alguns locais apodrecidos! Muito mais por culpa da sua qualidade de fabricação que pelo clima e uso durante sua vida... A minha expectativa é que os Polara desapareçam e se valorizem, viabilizando assim financeiramente uma restauração no futuro. Outra curiosidade são os preços das peças, um absurdo!

Abraço,

Luís Augusto disse...

Acho que valoriza; o Dodginho marcou época.

roberto zullino disse...

Que época o dodginho marcou? A das saídas de alavanca de câmbio na mão?

Luís Augusto disse...

Marcou época como o "potencial melhor médio-pequeno do Brasil". Carro para quem queria um Dojão mas só tinha grana pra comprar um TL. Tirando o aspecto do controle de qualidade, devia ocupar um nicho de mercado semelhante ao do i30 de hoje.

M disse...

Tive 2 e nunca me encheram o saco !

André Grigorevski disse...

Lindo Dodginho. Cheguei a pensar seriamente em comprar um certa vez. Câmbio automático, bem original, acho que era 1979. Tinha que tirar uns pontos de ferrugem e dar uma pintura geral.

No fim, achei melhor não comprar. Mas, quem sabe um dia...

Nikollas Ramos disse...

Aqui nós temos um fanático por Doginhos, o amigo Ligo, o qual aliás não vejo há algum tempo. Ele deve ter uns 20 em excelente estado, mais um monte de coisas para restauração futura, estoque grande, pelo que ele me disse uma vez. Têm tantos que agora coleciona os Dojões.
Eu não sei se eramo bons ou ruins, mas os primeiros são lindos. Se dinheiro sobrasse, teria um com uma linda mecânica V8, tal qual um maigo me nadou as fotos de um arrancando aqui em Jacarepaguá. Pra que tudo isso? Sei lá, só pra ver a lenta sacudir as maçanetas da porta. Já é divertido o bastante.

Luís Augusto disse...

Dodginho V8?

Paulo Galluzzi disse...

Talvez o nosso amigo não teve sorte com o Dodginho (o que comentou que a alavanca saia na
mão). Mesmo porque qualquer carro
antigo ou novo possa apresentar
algum defeito.Estou no segundo
Dodginho e posso afirmar que e o melhor carro (antigo)que já tive e que uso constantemente. Ah, estava
esquecendo, o Dodge Polara ganhou o prêmio de ''O Carro do Ano'' pela revista Auto Esporte em 1977.
Abraço a todos.

Luís Augusto disse...

Prezado Paulo, bem-vindo e volte sempre! Os últimos Polaras são realmente muito bons.

Luciano Jafet disse...

Embora eu ache que o melhor carro pequeno já fabricado no Brasil,foi o VW Passat,o Dodginho vem em segundo lugar.Embora seja um carro pesado para dirigir e tinha um carburador inglês muito encardido,o carro é excelente e é o mais durável e bem construído entre os pequenos nacionais.É um absurdo eles valerem tão pouco,pela raridade e pelo pequeno número que ainda restam deles.Mas isto já está começando a mudar,e acredito que em mais algum tempo,eles vão ser bem reconhecidos e valorizados!!!!

Anônimo disse...

Venho amadurecendo a idéia de ter um pequeno carro nacional antigo, e os principais candidatos são o Polara e o Chevette. O GM facilitaria as coisas em todos os sentidos, começando pela grande oferta de exemplares ainda em bom estado e por um preço razoável, mas o coração bate mais forte é pelo Dodge.

Mr. Car.